sexta-feira, fevereiro 26, 2010

Hip, hip, hooray!!!

Amanhã é aniversário da Vivi.
Como em todo fim de semana, eu tiro folga do Patos! (ninguém é de ferro), então:

PARABÉNS, VIVI!!!




Sei, Zé Bombeta...



Cuidado! Propaganda enganosa!
Todo mundo sabe que a bomba (esteróides) deixa o bingulim caidasso.

quinta-feira, fevereiro 25, 2010

quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Escolha bem o seu cirurgião plástico

A pergunta que não quer calar...

Essa bunda não está no lugar errado????


terça-feira, fevereiro 23, 2010

segunda-feira, fevereiro 22, 2010

FURO DE REPORTAGEM!!!

Descobrimos o cachorro do Palhaço Careca.


quinta-feira, fevereiro 18, 2010

Ui!

Super... Super... Super o quê mesmo, hein?

sexta-feira, fevereiro 12, 2010

É carnaval!!!!... Bleargh!!!!





Minha latinha pro Carnaval



Depois, só na semana santa...

Bom carnaval, pra quem é disso!!!

quinta-feira, fevereiro 11, 2010

Agradecimento do dia

A cada dia temos algo pelo que agradecer.




Hoje, podemos agradecer porque o

fotógrafo não estava de frente.

A diferença da sala do seu chefe e a sua

video

terça-feira, fevereiro 09, 2010

É o amoooooor

video

Enviado pela Shirlei.
Sim, ela.

quinta-feira, fevereiro 04, 2010

quarta-feira, fevereiro 03, 2010

Direitos humanos?

video

A bíblia, segundo Fábio Max

Bíblia Gaudéria

Este texto anônimo foi encontrado escrito à ponta de faca e facão no balcão de um bolicho (ou tapera), em Uruguaiana - RS. Foi escrito ao longo de muitas idas ao bolicho, e, visto pela grafia do índio, encontrava-se nos mais variados estados etílicos que a mente de um gaudério pode chegar.

O texto é grande mas vale a pena...


Os Causos da escritura

Pois não sei se já les contei os causo das Escritura Sagrada. Se não les contei, les conto agora. A história essa é meio comprida, mas vale a pena conta por causa dos revertério.

De Adão e Eva acho que não é perciso conta os causo, porque todo mundo sabe que os dois fora corrrido do Paraíso por tomá banho pelado numa sanga.

Naqueles tempo, esse mundaréu todo era um pasto só sem dono, onde não tinha nem dele nem meu. O primeiro índio a botá cerca de arame farpado foi um tal de Abel.

Mas nem chegou a estendê o primeiro fio porque levou um pontaço nos peito do irmão dele, um tal de Caim, que tava meio desconforme com a divisão. O Caim, entonces, ameaçado de processo feio, se bandeou pro Uruguai. Deixo o filho dele, um tal de Noé, tomando conta da estância.

A estância essa ficava nas barrancas de uma corredêra e o Noé, uns ano despois, pegou uma enchente muito feia pela frente. Cosa muito séria... Caiu água uma barbaridade! Caiu tanta água que tinha até índio pescando jundia em cima do cerro.

O Noé entonces boto as criação em cima de uma balsa e se largou nas correnteza o índio velho. A enchente era tão braba que quando Noé se deu conta, a balsa tava atolada num banhado chamado Dilúvio. Foi aí que um tal de Moisés varou aquela água toda com vinte junta de boi e tirou a balsa do atolero.

Bueno, aí com aquele desporpósito, as família ficaram amiga. A filha mais velha do Noé se casou-se com o filho mais novo do Moisés e os dois foram mora numa estância muito linda, chamada Estância Babilônica.

Bueno, tavam as família ali, tomando um mate no galpão, quando se chegou um correntino chamado Golias, com mais uns trinta castelhano do lado dele. Abriram a cordeona e quiseram obrigá as prenda a dança uma milonga. Foi quando os velho, que eram de muito respeito, se queimaram e deu-se o entrevero.

Peleia braba seu. O correntino Golias, na voz de vamos, já se foi e degolou de um talho só o Noé e o velho Moisés, e já tava largando planchaço em cima do mulherio quando um piazito carretero, se seus dez ano e pico, chamado Davi, largou um bodocaço no meio da testa do infeliz que não teve nem graça. Foi me acudam e to morto.

Aí a indiada toda se animou e degolaram os castelhano. Dois que tinham desrespeitado as prenda foram degolado com o lado cego do facão. Foi uma sangüera danada. Tanto que até hoje aquele capão é chamado de Mar Vermelho.

Mas entonces foi nomeado um tal de Major Salomão. Homem de cabelo nas venta, o major Salomão. Nem les conto! Um dia, o índio tava sesteando quando duas velha se bateram em cima dum piazito de seus seis ano que tava vendendo pastel. O major Salomão, muito chegado ao piazito, passo a mão no facão e de um talho só, corto as velha em duas. Esse é o muito falado causo do perjuizo de Salomão que contam por aí.

Mas, por essas estimativas, o major Salomão, o que tinha de brabo, tinha de mulherengo. Eta índio Bueno seu. Onde boleava a perna, já deixava filho feito. E como vivia boleando a perna, teve filho que Deus nos livre. E tudo com a cara dele, que era pra não have discordança.

Só que quando Deus Nosso Senhor quer, até égua veia nega estribo.
Logo a filha das predileção do major Salomão, a tal de Maria Madalena, fugiu da estância, e foi sê china de bolicho. Uma vergonhêra pra família! Mas ela puxou a mãe, que era uma paraguaia meio gaudéria que nunca tomo jeito na vida.

O pobre major Salomão se matou-se de sentimento, com uma pistola Eclesiaste de dois canos. Mas veja como é a vida. Pois essa mesma Maria Madalena se casou-se três anos despois com um tal coronel Ponciano Pilatos. Foi ele que tirou ela da vida. Eu conheço uns três causo do mesmo feitio e nem um deles deu certo.

Como dizia bem o finado meu pai, mulher quando toma mate em muita bomba, nunca mais se acostuma com uma só. Mas nesse contraprocedente, até que hove uma contrapartida.

O coronel Ponciano Pilatos e a Maria Madalena, tiveram doze filho, os tal de apósto, que são muito conhecido pelas caridade que fizeram. Foi até na casa deles que Jesus Cristo churrasqueo com a cunhada de Maria Madalena, que despois foi santa muito afamada. A tal de Santa Ceia.

Pois era uns tempo muito mal definido. Andava uma seca braba pelos campo. São José e a Virge Maria tinham perdido todo o gado e só tavam com uma mula branca no potrero, chamada Samaritana. Um rico animal, criado em casa, que só faltava falá. Pois tiveram que se desfazê do pobre... E como a desgraça quando vem, já vem de braço dado, foi bem aí que estouraram as revolução. Os maragato, chefiado por um tal de coronel Jordão, acamparam na entrada da Vila.

Só não entraram porque tava lá um destacamento comandado pelo tenente lázo, aquele mesmo que por duas vez foi dado por morto.

Mais um cabo dos provisório, um tal de Judas, se bandeou-se pros maragato e já se veio uns tal de Romano, que tavam numas várzea e ocuparam a Vila.

Nosso Senhor foi pra se degolado por um preto muito forte e muito feio chamado Calvário.

Pois vejam como é a vida. Esse mesmo preto Calvário, degolador muito mal afamado, era filho da Velha Palestina, que tinha sido cozinhera da Virge Maria. Degolador é como cobra, desde pequeno já nasce ingrato.

Mas entonces botaram Nosso Senhor na cadeia, junto com dois abigeatário, um tal de João Batista e o primo dele, Heródio dos Reis.
Os dois tinham peleado por causa de uma baiana chamada Salomé, e no entrevero, balearam dois padre, monsenhor Caifas e o cônego Atanásio.

Mais veio uma força da Brigada, comandada pelo coronel Jesus Além, que era meio parente do homem por parte de mãe e com ele veio mais três corpo de provisório e se pegaram com os maragato. Foi a peleia mais feia que se tem conhecimento. Foi quarenta dia e quarenta noite de bala e bala.

Morreu três santo na luta: São Lucas, São João, São Marco. São Mateus ficou três mês morre não morre, mas teve umas atenuante a favor e se salvo-se o índio...

Nosso Senhor pegou três balaço, um em cada mão e um que varou os pé de lado a lado. Ainda levou mais um pontaço do mais velho dos Romano, o Cezar Romano, na altura das costela. Ferimento muito feio que Nosso Senhor curou tomando vinagre na sexta-feira da paixão..

Mas aí, Nosso Senhor se desiludiu-se dos home, subiu na Cruz, disse adeus pros amigo e se bandeo de volta pro céu.

Mas deixo os dez mandamentos, que são cinco e que se pode muito bem acolherá em dois:

1º - Não se mata home pelas costa;

2º - Nem se cobiça mulher dos otro pela frente.

terça-feira, fevereiro 02, 2010

Já começou a apelação

Clique na imagem, que ela aumenta.

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

E pur, si muove


(do New York Times)

Os Gerentes de uma Editora estão tentando descobrir, porque ninguém notou que um dos seus empregados estava morto, sentado à sua mesa há CINCO DIAS.

George Turklebaum, 51 anos, que trabalhava como Verificador de Texto numa firma de Nova Iorque há 30 anos, sofreu um ataque cardíaco no andar onde trabalhava (open space, sem divisórias) com outros 23 funcionários.

Ele morreu tranquilamente na segunda-feira, mas ninguém notou até ao sábado seguinte pela manhã, quando um funcionário da limpeza o questionou por ainda estar a trabalhar no fim de semana.

O seu chefe, Elliot Wachiaski, disse:

'O George era sempre o primeiro a chegar todos os dias e o último a sair no final do expediente, ninguém achou estranho que ele estivesse na mesma posição o tempo todo e não dissesse nada.

Ele estava sempre envolvido no seu trabalho e fazia-o muito sozinho.'

A autópsia revelou que ele estava morto há cinco dias, depois de um ataque cardíaco.

Mais gramática do pudê apricada