segunda-feira, dezembro 22, 2008

Dingou béus, dingou béus...

A todos os meus amigos reais e virtuais (Malu, Lets, Vivi, Fábio, Palhaço, To
m, Ricardo, Julia, Shirlei, Leitora de Blog - esqueci alguém? - ...), e aos demais visitantes eventuais, meus votos de boas festas, feliz natal e um excelente
ano novo.

Tudibão proceis!!!!!

QUACK!!!!!



domingo, dezembro 21, 2008

O Natal de Suzana - XVIII - Final

Suzana deu folga pra criadagem. Afinal, eles tinham de ir pra casa e fazer suas próprias ceias.

Suzana se viu num mato se cachorro, pois já havia comunicado à família em junho que passaria os festejos natalinos ao lado do seu mozão. 

Na ocasião a família estranhou, porque não era esse o hábito. Lamentou a ausência da vovó. Por outro lado, ficou aliviada porque o mozão da vovó começava com inconveniências depois de certa hora: bebia além da conta, reclamava do pedaço do peru que lhe cabia, começava a fazer gracejos às mulheres presentes e patinava em seu palavreado chulo. Teve uma vez até que passou a mão na bunda da nora de Suzana. A nora ficou indignada e falou com o marido, que, muito diplomático, pediu para que Marcelo se retirasse. Mas logo resolveu botar panos quentes, porque tal situação poderia atingir vovó, que não levava desaforo pra casa, e ele não queria ser o pivô de um problema familiar. Sua esposa ficou tiririca da vida, mas ele contornou a situação nas noites seguintes. 
Além de tudo, havia um problema técnico-logístico: o apartamento do filho é muito pequeno, e havia um só banheiro, ocupado insistentemente por Marcelo durante toda a noite, impossibilitando, assim, que as demais pessoas pudessem usá-lo. Uma vez, inxcrusive, a família apelou à boa-vontade do vizinho, que os atendeu esfregando a língua em um dos dentes, tentando se livrar de uma fibra de peru. Não estava lá com muito boa-vontade, e a situação foi constrangedora.

Mas, como família é família, e diante da tragédia aliviadora que se abateu sobre vovó, refizeram o convite. Suzana, que tropeça mas não cai, disse em tom desaforado que já havia sido chamada pelo Presidente da República e espôôôusa (que não perde uma novela sua) pra passar a noite de Natal na Granja do Torto. 

- Mas mamãe, creio que a senhora se sentirá mais confortável passando o Natal com sua família, com seus netinhos adorados...

- Não, meu filho... Deixa sua mãe purgar seus problemas. Estou tão achacada com os últimos acontecimentos, com todo o mico que paguei, por ter imposto uma pessoa tão mal-educada pra vocês durante esse tempo todo, que acredito que será uma boa passar o Natal com gente de modos muito, mas muito piores que o do falecido.

- Mesmo assim você estará sozinha, mãe!

(ainda no telefone, olhando vingativa e friamente para o alto, meio de ladinho, com aqueles olhos cheios de rímel e lápis) - Não, não estarei não, meu querido. Estou ficando com um rapaz que conheci na churrascaria. Tá certo que ele tira carne dos dentes com o dedo, mas com o tempo isso se resolve. Deixa estar (franze os lábios redondos e cheios de batom dubom e desliga).

(Leticia)

quinta-feira, dezembro 18, 2008

sexta-feira, dezembro 12, 2008

extra extra extra

Já começamos a receber ameaças. O que segue me foi enviado por e-mail, pela saudosa Pata Irada. Leiam:


"A policia intensificou as suas operações para identificar e possivelmente prender os responsáveis dessa trágica tragédia.

Um grupo de indivíduos de um "certo blog" teria induzido o ex-Marcelo a cometer esse "aconticìdio".

A mais atual namorada, comentou que ele dava voltas na garagem "transtornado", depois de ler esse tal blog e dizia: "estou sendo perseguido". HãHã!

Dizem as testemunhas que foi uma verdadeira overdose e ele então resolveu cometer o aconticídio. De acordo com testemunhas que tiveram acesso a certidão de óbito da vítima esse não seria o real motivo da trágica tragédia. A causa da morte impressa no laudo é: "aguardando exames complementares".

O Ministério da Saúde adverte:AGUARDAR EXAMES COMPLEMENTARES... FAZ MAL À SAÚDE!"


Diante de tal informação, temos a declarar que: nós, Patos, não nos intimidamos. Continuaremos na luta, mesmo que seja em uma prisão de segurança mínima, na cela ao lado da do Daniel Dantas.

Avante Patos!!!

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Parêntese da Leticia

Suzana hoje não está muito bem. Está num misto de chocada e magoada com o "aconticido".


Como acontece toda vez que fica deprê, manda chamar novamente Valeska, justamente no momento em que sua cabeleireira preferida tinha um tempinho só pra si, pra depilar a barba e fazer as unhas.


Enquanto Valeska não chega, Suzana chama por qualquer um:


Expediiiiiito! (que pode ser qualquer serviçal): Vai lá nos meus arquivos e me acha aquela cena de Duas Caras, do enterro do João Pedro, em que a Branca chama ele de verme! E marca hora para o bronzeamento, que quero caaaaaausar no Cemitério de Ricardo de Albuquerque, vai! Rápido!

Corrigido sob coasão e sob protesto. Pechincha, mesmo errado, é mais interessante que Ricardo de Albuquerque...

Parêntese da Leticia

Suzana hoje não está muito bem. Está num misto de chocada e magoada com o "aconticido".

Como acontece toda vez que fica deprê, manda chamar novamente Valeska, justamente no momento em que sua cabeleireira preferida tinha um tempinho só pra si, pra depilar a barba e fazer as unhas.

Enquanto Valeska não chega, Suzana chama por qualquer um:

Expediiiiiito! (que pode ser qualquer serviçal): Vai lá nos meus arquivos e me acha aquela cena de Duas Caras, do enterro do João Pedro, em que a Branca chama ele de verme! E marca hora para o bronzeamento, que quero caaaaaausar no Cemitério do Pechincha, vai! Rápido!

O Natal de Suzana - XVII

- Suzana, não quero te preocupar ainda mais... Mas vi o Sr. Marcelo saindo de sua garagem com um cara lá de goiás que acho que já vi naquele programa da globo, onde se mostra a cara dos bandidos.

suzana revira os olhos e arfa, abrindo e fechando as narinas. ela aprendeu isso como técnica de interpretação e usava pra tudo. inclusive em uma ou duas novelas. ela diz:

"mas gente, a essas alturas, desde que recebi convite pra ir passar o natal na granja do torto, com o presidente, nada mais me incomoda. é a coroação de anos de trabalho. eu não sabia que a dona galega gostava tanto de mim! não tenho tempo pra me preocupar com marcelo. se ele ligar, diga que pode pegar a mesada com o expedito. ele sabe que já diminuí o valor. agora, com quem ele chega ou sái, não é mais de minha conta. quero é estar bem chique e gostosa na festa do presidente. filó, avisa minhas assessoras que quero fotos em todas as revistas. avisa àqueles paparazzi da siqueira campos também. são viados mas são todos meus amigos. ah, manda um relogio m.officer pra cada um. agora, deixe-me ver, qual é mesmo o telefone do ronaldo ésper? preciso de um vestido abafante!"

enquanto isso, marcelo segue pra barra com seu novo amigo. era um homem caladão, com roupas e botas de cantor sertanejo, mesmo no calor saariano do rio de janeiro. o pouco que disse é que era dono de duas televisões em goiás e queria o ex- pm como âncora de um talk show.

marcelo estava animado. era de manhã, quando ele chegou ao predio. o homem, estranhamente, pediu pra que ele não baixasse os vidros escuros. "fotofobia", disse ele. marcelo nem sabia o que era isso. mas, afinal, ali estava seu futuro. ele apenas piscou o farol para o porteiro, distraído com os travestis da avenida. um deles, o ex caso do jogador ronaldo. o carro entrou.

(tom paixão)

O Natal de Suzana - XVI

suzana lanca um olhar frio o que faz que Dr. Hermano imediatemente se cale.

-Meus queridos, reuni voces aqui para dar uma noticia e terminar com todo esse disse me disse sobre minha vida privada.

Nisso todos os reporteres se aproximam quase derrubando Dr. Progestene, que ainda nao havia terminado seu curso intensivo via internet: "Como aparecer bem diante das camara", "Como lidar com a fama".

Desajeitadamente Dr. Progestene tenta se posicionar atras de Suzana procurando disfarcar a calva. Suzana se irrita e diz:

-Saia ja dai Dr. Progestene!!!! A Global aqui sou eu! Eu sou a estrela desse filme voces sao somente meros figurantes. Entendeu!? Creuza, minha filha! Retoque meus labios e meus cilios... Valeska, meu lindo!! Quero meu cabelo igualzinho a comercial de shampooooooooooooo!!!!!Hahahahahahahahahahaha!!!!!-E ai, meus lindos, nao estou ma-ra-vi-lho-sa!!! Esse vestidinho "Versatxi" nao fica lindo com essas sandalias havaianas. Li que a Gisele, sabe a "Binxen" gosta de usar havaianas, entao eu vou usar tambem porque eh "xique". Bom agora vamos a sessao de fotos. Podem fotografar bastante. Nao se esquecam do meu melhor angulo, photoshop nem preciso. Minha humildade de faz assim maravilhosa. Bom, agora chega!!! Declaracao: -Nesse Natal, tirarei ferias prolongadas. Embarco hoje um "cruise" e retorno ao Brazil somente daqui um ano. Vou passear pelo mundo em busca da felicidade, encontrar amigos, familia... Deixo Dr. Hermano tomando conta de todos os meu negocios nesse periodo. Quem me deu "esse" presente!?Acredite ou nao, na noite passada recebi a visita do Papai Noel, aquele bom velhinho barrigudo, de barbas branca que veste roupas vermelha. Sim, ele existe, basta que procuremos e estejamos disposto a encotra-lo dentro de cada um de nos.

p.s.: pelo menos na ficcao um final feliz, afinal eh Natal e eu ainda acredito no bom velhinho.
Se vcs nao concordarem podem trocar. Beijos.

(Malu)

Extra! Extra!

Sinistro...

quarta-feira, dezembro 10, 2008

O Natal de Suzana - XV

Progéstenes, antes de se formar advogado e ter feito concurso para delegado, foi colega de academia de Polícia do Marcelo. Aprenderam juntos a lidar com as "adversidades" do dia a dia e assim, ficaram amigos. Sempre diziam que um dia, se continuassem malhando, com o corpo nos "trinques" iriam arrumar alguma coroa rica para, enfim, terem a vida digna que mereciam.

Ao receber a ligação solicitando sua presença na casa de Suzana aquilo lhe soou como uma intimação. Não gostava nada de participar dos mimos daquela velha desvairada. Fazia vista grossa para seus devaneios em nome da amizade que tinha com Marcelo. Sempre lembrava daquela vez que Marcelo espancou uma prostituta no motel e para tentar abafar o caso ganhou do amigo uma Magnun 357 cromada.

- Cabo!!! Cabo Romoildo!!! Ta me ouvindo rapaz!!! Pega as chaves da viatura que você vai a um lugar comigo! (Gritou Progéstenes ainda com o palito de dentes remanescente do almoço sambando em sua boca).

Chegando ao apartamento da Dona Suzana a cena que ele viu deu frios na espinha. Parecia o Set daquele filme pornô gay do qual participou, mascarado é claro. Holofotes ele contou 5. Fotógrafos tinha uns 3. Fora uma câmera filmadora toda bonitona com um grande decalque escrito "O Fuxico" que ele não entendeu muito bem.

Suzana está recostada no seu sofá de 7,35m no centro da sala de visita com um sorriso meio amarelo meio branco devido a um tratamento que interrompeu depois de ter clareado apenas os dentes de cima ("- Ficaram muito sensíveis, vou parar". Disse ela à época).

- Dr. Progéstenes, por favor, gostaria que o sr. estivesse presente para ouvir as declarações que preciso fazer. Meu adevogado está quase chegando. Por favor, espere. Sente-se nesta cadeira que ele me falou que em 5 minutos estará aqui.

- To bem aqui, Sra. Suzana. Espero o tempo que for preciso.

O advogado de Suzana rompe a porta que dá para o hall do apartamento com respiração ofegante e um olhar completamente fixo e esbugalhado.

- Ai meu Deus, o que houve querido. Senta aqui. Filóóóóó..... Um copo com água e açúcar pro Dr. Hermano pro favor. Rápido...

Recuperando um pouco do fôlego, mas ainda muito descontrolado ele olha bem para Suzana.

- Suzana, não quero te preocupar ainda mais... Mas vi o Sr. Marcelo saindo de sua garagem com...........

(Ricardo)

O Natal de Suzana - XIV

O que Suzana nao sabia era que o delegado Dr. Progestene havia grampeado todos os telefones dela.

Ele, Dr. Progestene tinha uma amizade de muitos anos com o dono da Revista Fofoca* e do Jornal Ultima Hora**.

Ele estava planejando passar uma temporada nas Bahamas e enviar os filhos para estudar no exterior com o dinheiro arrecadado com a venda das conversas privadas.

Caso Suzana tentasse processa-lo por "quebra de sigilo" Progestene ja tinha combinado com seu amigo Dr Sanctos, Juiz que havia lhe garantido que a Constituicao era "somente um papel", que os dois dividiriam a bufunfa arrecadada e a sentenca seria favoravel ao jornal e a revista. Progestenes pensava:

"Conversas privadas mesmo, por que essas relacoes dessa tal de Suzana sao um monte de mer**."

Suzana se estica o braco para alcancar o celular, quase cai, efeito das plasticas, cada vez que movimenta rapidamente o braco as pernas se movimentam tambem. Ela precisa lembrar disso e ser mais cuidadosa.

Ela necessita urgentemente a presenca de Creuza, sua maquiadora, Valeska, seu cabeleleiro, afinal ela iria aparecer nas paginas das revistas mais importantes da atualidade, a "Biblia" dos descolados. Se voce nao ler Caras e Contigo jamais podera ser considerado uma pessoa informada ou intelectualizada, pena que o povo brasileiro nao entende isso pensava Suzana.

Ela ja nao conseguia controlar seus pensamentos."Irei matar de inveja aquelazinha e aquele traste. Anunciarei minha lista de presentes de Natal. Coisas bem simples. Esse anos darei somente gifts, eh mais chique.

Para o meu bisneto de 1 ano***

-1 IPhone;
-1 PS3
-1 DS2
-1 Guitar Hero 3
-1 Passeio na Disney
-1 Carro Eletrico

E assim ela seguiu fazendo a lista de "gifts"...

p.s. * nao conheco nome de revistas de fofocas, aqui tem umas que sao piores que a Contigo;
** Jornais tb desconheco, sei que tem uns q sao especializados em fofocas;
*** licenca poetica

(Malu)

terça-feira, dezembro 09, 2008

O Natal de Suzana - XIII

Suzana fica pensativa com relação ao bilhete. O presente pouco importava para ela, afinal para quem já tem tudo da vida...

Abre a gaveta do criado que fica do lado que Marcelo usava da cama e olha atentamente para o Calendário Pirelli pensando: "Já é dia 09, não comprei nada ainda para meus filhos, netos, bisn...."

Triste, cai-lhe a ficha de que não existe mais Marido em sua lista infindável de possíveis beneficiados de sua humilde caridade anual.

Filó faz uso de um andador (herança da 37ª operação da Suzana) para suportar o incômodo da perna inchada após o quase atropelamento. Se equilibrando sobre as sapatilhas pretas escorregadias (parte fundamental de seu uniforme, as quais a patroa fazia questão que usasse), leva o chazinho de camomila à suíte máster.

A cena que encontra lhe parte o coração.

Suzana folheava um caderno cheio de fotos e números (era o bendito calendário) em frente ao espelho e repetia as posses das beldades ali retratadas como em uma competição de Miss Universo. Suzana leva um susto:

- Credo Filó... Que que você está fazendo aí parada, parece uma múmia.

- Mas senhora, to trazendo o chá que fiz pra senhora.

- Me conta tudo o que o canalha te disse????

- Disse nada não. Ele mais chorô que falô qualquer coisa. Agora, no fim do corredor, perto da escada de seuviço tinha uns dois homi com cara de mau. Se fosse na Rocinha eu diria qui eram do movimento, mais aqui, sei não...

Suzana liga para a portaria do prédio, que por norma do condomínio deveria identificar qualquer visita:

- Seu Pereira, o senhor poderia me dizer quem eram essas pessoas que o Senhor deixou subir sem serem anunciadas?

- Dona Suzana, vai me dizer que a senhora já esqueceu quem é o Dr. Marcelo?!?!?! A senhora está com Alzheimer também?!?!?!?! Coitada.....

- Para com isso seu Pereira, não é nada disso. Quem subiu com aquele cafajeste???

- Aaahhhh, a senhora ta dizendo os outros dois moços. Eles falaram que vieram buscar os documentos da moto que o Dr. Marcelo vendeu pra eles...

Silêncio na ligação....

Suzana desliga o interfone sem se despedir do porteiro. O presente que tinha dado ao Marcelo, um mimo de R$ 60.000,00 que ele fez questão que ficasse em nome dela (mal sabia ela que a intenção dele era não receber pontos na carteira de habilitação) já estava a perigo.

- Filóóóóóóóó..... Chama meu advogado e o delegado Dr. Progéstenes aqui em casa agora!!!! Aproveita e liga para a Contigo e Caras.... Tenho declarações a fazer........

(Ricardo Andrade)

O Natal de Suzana - XII

Quando Suzana entra gritando apartamento adentro encontra uma figura rotunda de olhos esbugalhados, vestido de papai-noel, com uma grossa barba postiça a esconder a face.

- Ma...o catzo! O que isso significa??? Cadê meus seguranças, MEU DEUS, vou ser seqüestrada, vou parar nas páginas policiais de vez agora, já não bastasse aquele fdp do car... do Marcelo, e agora isso!!! Fale logo! Aliás, me leve, não vou resistir, só não agrida o meu rosto, não quero aparecer em Caras com olho roxo!

- Não ofende Su!

- (Em estado de chilique to-tal): Oqueeeeeéee!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Oquevocêtáfazendoaquiseumiserávelfiodaputadumafigadocaralho??? Filoméeeennaaaa!Filoméeena!!! Severíiino!! Seguranças! Polícia! RevistaContigo!!! Quem estiveraírápidooooooooooooooooooooo!!!! (desmaio)

E nos devaneios do sono forçado em que entrou, Suzana viu-se em uma linda festa na Ilha de Caras, acompanhada de Catherine Deneuve, Fernanda Montenegro, Angelina Jolie, Brad Pitt, Meryll Streep, Sean Connery, e outras tantas celebridades, tudo regado a muita champagne e ensaios fotográficos que fariam parte da edição especial de Caras em homenagem ao seu aniversário.

E quando Pedro Almodóvar foi em sua direção dizendo ter um filme maravilhoso em mente e querendo lhe fazer uma proposta, eis que a voz dele muda de modo estranho para um “Oh! Oh! Oh!” de papai noel de loja popular e logo depois, com um timbre parecido com o da voz de Filomena:

- Dona Suzáaana?

E ela acorda ainda meio tonta, olha para Filomena e diz:

- Pedrito mio querido! Não faça voz de falsete, não fica bem em alguém na sua posição...

E Filomena sem entender patavinas, se limita a falar:

- Tirei ele daqui dona Suzáana! Falei qui a senhora não ta em condições de agüentar uma brincadeira dessas... daí ele se derramou em lágrimas, ajoelhou-se aos meus pés, disse que tinha trazido um presenti pra sinhora e que quiria pedir desculpas, e que sabia que a sinhora tem coração bom e que tem espírito natalino e que iria perdoá-lo!

- Quem? O Almodóvar?

- Não sei quem é esse tal de Almodova. A sinhora ainda ta meia tonta, vou providenciar um chá de camomila e sinhora já melhora.

Enquanto Filomena vai à cozinha, Suzana ainda tonta depara com um pacote de presente. Aos poucos ela cai em si, que não existiu festa nenhuma e que Almodóvar não estava lhe convidando, e que aquele era o pacote que o pulha trazia em mãos, vestido naquela horrorosa fantasia natalina. Ela não resiste a abre o pacote, encontrando um cinzeiro de motel barato, aquele da decoração de oncinha tão ao gosto do Ronaldo Fenômeno, com um bilhete:

"Meu amor! Estou enviando um presente que fiz com minhas próprias mãos, prova do carinho que tenho por você. Me perdoa! Não consigo mais viver sem você! Errei, me perdoa! Pense nos belos natais que passamos juntos em Paris e no Caribe. Me aceita de volta por favooooor!!!"

(Fábio Max)

segunda-feira, dezembro 08, 2008

O Natal de Suzana - XI

-Vou si minha filha. Qual o problema!? Logico que vou levar ela la pra cima.

-Expediiiiiiiitoooo!! Expediitooooooooo!! Cade voce meu filho? Vamo, pega logo esse trast... essa mulher no colo e leva ela la pra cima.

Suzana vira-se para a sindica e dispara a falar.

- Olha nem me venha falar dos problemas juridicos que voce diz que entende porque voce nao entende nada. Quem entende eh o seu marido. Entenda bem eu sou uma GLO-BAL, sou linda, loira, pago minhas contas e meus maridos e se nao fosse eu assim um poco de humildade diria que sou a melhor atriz da atualidade. Nao sou assim como "certas pessoas" que vivem no anonimato, casam e ficam casadas com o messsssssmo marido 30 anos, eu ja compr... casei mais de 30 vezes T-O-D-O-S eles, tirando aquele que me lancou para a fama, com menos da metada da idade do meu filho. TODOS apaixonadezimos. Sabe porque minhas relacoes afetivas sempre acabaram? Porque sempre mimei demais os meus maridos, era carro importado, joias, viagem, perfumes, roupas, cartoes de credito sem limite, mimos e mais mimos... logo eles ficavam sem ter o que fazer dai uma dessas oportunistas aparece e fica fazendo fofoca nos jornais.

Expedito havia subido com a pobre e colocado ela na cama, ligado a TV que naquela hora passava o programa matinal da Ana Maria Brega. O sonho secreto de Filo era ir trabalhar para Ana Maria, conhecer o Louro Jose. Sera que D. Suzana atenderia um pedido seu agora que ela tinha quase morrido, pensava Filomena.

Quando Suzana entra gritando apartamento adentro........

(Malu)

O Natal de Suzana - X

suzana quase se desespera. foi a primeira vez em que mal disse as várias plásticas. afinal, queria demonstrar para expedito e para a síndica que estava consternada com o infausto acontecimento com sua empregada. (tá, ela sabia que o politicamente e hipócrita correto mandava dizer secretaria do lar, que nem a ana maria braga ensinou. mas, porra, ela era mesmo a empregada da casa, caceta! "foda-se aquela loira falsa com aquele papagaio gay pedófilo", ela pensou.).

aliás, a síndica, que era gorda, disforme, cheia de liguajar jurídico e pose de ter amizade com políticos cassados ou em vias de, era uma cobra. mas suzana, com a força de ser uma global, a ignorava solenemente. até que ela tocou no calo:

"dona vieira (ela tinha o irritante modo de chamar a todos pelo sobrenome), a senhora vai tratar de sua empregada aqui?"

suzana fez um esforço sobre humano pra mostrar seu desagrado. e disse, voz gutural:

(Tom)

sexta-feira, dezembro 05, 2008

O Natal de Suzana - IX

A espera pelo jornal deixa Suzana inconsolável. Tentando passar o tempo ela resolve fazer seu exercício semanal para a memória. Nua, em frente ao espelho de parede inteira de seu quarto, tenta se lembrar de todas as suas cirurgias plásticas por ordem cronológica.

Quando a contagem de cirurgias atinge 57, Suzana não consegue mais se concentrar:

"Não dá. Não consigo. Preciso saber o que aquele cafajeste aprontou desta vez. Já ouvi desaforos demais só porque parei de pagar o Flat da mãe dele na Barra. O que ele ta inventado agora".

Ela passa a mão no roupão de seda chinesa (um mimo particular que ela "guardou" do figurino da última novela das oito) e vai rapidamente para a sala de seu apartamento tentando entender a demora da Filó...

Impaciente pega o telefone e, andando de um lado para outro da sala, liga para sua amiga mais próxima para saber se tinha alguma novidade sobre ela circulando por aí. Sua amiga é a Clô (apelido carinhoso que a amiga ganhou quando o irmão mais novo, colega de escola da Suzana, Clóvis Bornay* faleceu).

-Clô querida, tudo bem? Sou eu, a Sú!.

- Sú? Que Sú?

- Puta que pariu! Suzana Vieira aquela garotinha que te levou as alianças em seu casamento em 1923.

- Claro, Suzana tudo bem?

- Nada querida... Estou aflita com minha situação. Você ta sabendo de alguma novidade, alguma fofoca nova a meu respeito?

- Suzana minha flor. Já te falei pra não faltar às aulas de informática aqui do asilo. Pela internet você fica sabendo de tudo em primeira mão.

- Internet, eu sei, eu sei, meu neto já me disse isso. Não consigo, não entra na minha cabeça loira essas coisas de modernidade... Deixa pra lá, um beijo...

Enquanto se despedia de sua amiga e ainda caminhando pela sala do apartamento, ouve um ruído forte vindo pela janela. Lembrava o ruído que fazia de quando seu pai abatia um porco na fazenda. Correndo para ver o que era, deu para ver com seus 7,9º de hipermetropia, uma mulher estirada na rua, vestindo o uniforme de doméstica inconfundível comprado na Daslu a apenas 1 semana.

Filóóóóóóóó!!!!!!!! Nãããããoooooooooo!!!!!!!!


* Era o mais novo dos doze filhos de mãe espanhola e pai suíço, um dono de uma loja de jóias em Nova Friburgo. Na sua juventude, durante a década de 1920, descobre no carnaval sua grande paixão. Começou sua carreira em 1937, quando conseguiu convencer o diretor do Teatro Municipal do Rio de Janeiro a instituir bailes de carnaval de gala com concurso de fantasias, inspirado no modelo dos bailes de Veneza.

(Ricardo Andrade)

Enquanto Suzana não vem

A crise... por um americano.

O sujeito é americano que se chama Marc Faber. Ele é analista de Investimentos e empresário. Em junho de 2008, quando o Governo Bush estudava lançar um projeto de ajuda à economia americana, ele encerrava seu boletim mensal com um comentário bem-humorado, não fosse trágico...

O Governo Federal está concedendo a cada um de nós uma bolsa de U$ 600,00.

- Se gastarmos esse dinheiro no supermercado Wall-Mart, esse dinheiro vai para a China.
- Se gastarmos com gasolina, vai para os árabes.
- Se comprarmos um computador, vai para a Índia.
- Se comprarmos frutas e vegetais, irá para o México, Honduras e Guatemala.
- Se comprarmos um bom carro, irá para a Alemanha.
- Se comprarmos bugigangas, irá para Taiwan e nenhum centavo desse dinheiro ajudará a economia americana.
- O único meio de manter esse dinheiro na América é gastá-lo com prostitutas e cerveja, considerando que são os únicos bens ainda produzidos por aqui.

- Eu estou fazendo a minha parte...

Bem, ele só se esqueceu que a Budwiser agora é brasileira...

terça-feira, dezembro 02, 2008

O Natal de Suzana - VIII

filomena tinha uma irmã. as duas saíam em alas da unidos de são clemente. ambas eram portelenses roxas. mas nunca tiveram dinheiro pra comprar as roupas ("as rõpa", diria expedito). como o marido da irmã de filó tinha matado um cara que queria matar o bicheiro que comandava são clemente, elas ganhavam do agradecido chefão, o mimo das fantasias.

esmeralda, nome da irmã de filó, trabalhava como camareira num teatro que ela nunca lembrava o nome. às vezes elas apostavam quem apareceria primeiro na tv, por causa dos trabalhos delas. não é que a esmê, como a irmã era chamada, ganhou?

numa festinha na coxia de uma atrizinha que esmê nem achava com muito sal, o namorado da tal atriz, dado sei lá o quê, cheirou, bebeu ou fumou ou tudo ao mesmo tempo agora, surtou e tascou bolachas na cara da tal atriz. esmê passava pelo local, carregando uma toalhas cheias de um líquido branco viscoso, que recolhera no camarim da atriz. sem que visse de onde veio, tomou uma muqueta pela cara à fora e desabou no chão.

virou manchete em todos os jornais e sites no dia seguinte. quando ligou pra filó pra contar, disse: " eu fico com a boca toda doendo, de vontade de rir. mas meu adevogado, doutor mayer, disse pra eu ficar com cara bem triste que dá pra arrumar uns caraminguás. daí posso fazer aquele puxadinho e levar lahvynyah idelzuita pra morar lá em casa!".

tudo isso vinha à mente de filó quando se dirigia pra banca em busca do jornal pedido por suzana. absorta em seus pensamentos, não viu quando o carro fez a curva em alta velocidade. o sinal,(sinaleira, farol, semáforo), estava aberto para os carros.

(Tom)

terça-feira, novembro 25, 2008

O Natal de Suzana - VII

Enquanto isso, na praça de alimentação do centro de compras, uma mulher comia salmão grelhado com brócolis no Giraffa’s, prova inconteste do requinte e sofisticação do local, no qual mesmo as lojas mais populares apresentam um diferencial que leva 9 em cada 10 celebridades a satisfazer ali seus ânimos consumistas, o que não seria diferente com Susana.

Suzana deixou Expedito no estacionamento VIP, com ordens de aguardá-la, porque faria uma visita rápida, coisa de 4 ou 5 horas para fazer algumas compras para esquecer das vicissitudes da vida. E descendo pela escada rolante, em direção à Victor Hugo* eis que do outro lado do shopping uma pessoa começa a berrar o seu nome:

- Dona Suzáana..dona Suzaaaaaanáa!!

Ela tenta esconder o rosto levando uma das mãos ao rosto como quem tenta arrumar os enormes óculos Dolce & Gabbana, virando a cabeça na tentativa de agir como se não fosse com ela e fugir daquela figura nefasta que incompreensivelmente foi autorizada a entrar no shopping e vinha rapidamente em sua direção, tropeçando nas pessoas, quando não em suas próprias pernas.

Mas foi inútil.

Assim que saiu da escada rolante, foi deprimentemente abordada por um indivíduo atarracado, com a barba desgrenhada e os olhos esbugalhados, que vestia uma camisa surrada do Corinthians, bermudão e chinelos Raider, se bem que iguaizinhos aos que o Gianechini usa sempre que vai à praia:

- (puf!puf!puf!) Dona Suzáana, sou seu fã (puf!puf!), peraí um minuto (puf!puf), quero falar com a sinhora!

- Ai meu querido, estou ocupada e tenho hora marcada, desculpe mas...

- (puf!puf) Peraí dona Suzáana, sou seu fã, me dá um minutinho pô!

E ele tentou se desvencilhar, e de nariz empinado sem aparentar dar muita importância, tentava de todos os modos sair dali, mas o nefasto a perseguia e parecia não entender o seu olhar de desprezo.

- Dona Suzáana, pô...mi dá um atógrafu? (...falando sem parar, nem sempre de modo compreensível...) Sou doidio pela sinhora. Minha galega, Marizia, á doidia pela sinhôra e a-do-ra aquele seu maridão sarado que aparece nas figura da revista Caras, hoji mesmo eu vi ele na primera página dodia**(...falando sem parar, nem sempre de modo compreensível...) foi uma coincindência dos corne incontrá a sinhora aqui hoje! Luria e Lulica adoram a sinhora tamém, aliais, meus amigo Tonhão Paloco, Minu Carto e Tarso tamém, nois as veiz toma uma birita na frente da Tv e quando a sinhora aparece num deixamo de dizê: - ôooo galega de talento!!! Nunca dêxamo de assisti suas novela, fiquei puto cãs brincadêra que o Faustão feiz com a sinhora na dança do gelo... (...falando sem parar, nem sempre de modo compreensível...)

E ela tentando esconder a vergonha e fazendo um esforço enorme para não esganar aquele indivíduo pega sua caneta Montblanc dourada e uma foto sua (sempre leva dúzias delas para todo lugar onde vai) na bolsa e pergunta para ele:

- Qual seu nome meu que-ri-do???

- Luis Lulla dona Suzánna, prizidenti di alto iscola, ao seu dispor.

- Lula? Pô você é a cara do...

- Eu sei, eu sei, todo mundio me dizisso, já até conheci ele pissoalmente lá mermo no paláciu, nessa merma época ano passadu, a sinhora num aquerditaria como... mas...mi dá o atógrafu?

- Dou sim, dou sim QUE-RI-DO!!!

- Eu sabia, eu sabia!!! A sinhora é mais simpática que o padre Marcelo Rossi, eu sempre disse pra todo mundo que essa galega é do povão mermo, essa num negaria fogo numa roda de cachaça com músicas do Rio Negro e Solimão!

- Ai seu Lul...digo, seu Luis, posso dedicar o autógrafo pro senhor.

- Ahhh dona Suzáana, si num for pidi muito, ponha uma frase bem bunita tipo ansim: De SUZÁANA E MARCELO para Luis Lulla e Marízia Lulla.

Era só o que faltava. O cara cheirando a caipirinha, com uma camisa do Corinthians que nem a marca Nike apresentava e agindo como um completo analfabeto que nunca leu Caras para não saber que ela e Mar...o safado&&¨%%%! Estavam separados ainda pede um autógrafo falando disso... muito sofrimento para uma pobre mortal como ela.

E enquanto seu interlocutor falava sem parar e inexplicavelmente não percebia a sua cara de insatisfação, de raiva, rancor, ódio e de vontade sincera de lhe arrancar os olhos, escreveu no verso na foto e a entregou quase esfregando-a no rosto dele e dizendo:

- Ta aqui seu Luis, desculpe não poder conversar mais com o senhor, mas combinei com uma amiga de comer salmão grelhado com brócolis ali na praça de alimentação e ela já deve estar me esperando...

Ele pensou consigo (eeeeca! Salmão? Brócolis? Calebridadji come mau mêmo) e disse:

- Muitio obrigado dona Suzáana, nem sei como agradecer, Marizia nem terá palavras e...

- Tá bem seu Luis, beijocas para todos!

E deu as costas saindo quase que em disparada para qualquer lugar onde se livrasse daquela... coisa!

No dia seguinte, Suzana ainda exausta das trágicas 24 horas anteriores, leva um susto ao abrir o jornal e ver uma foto enorme dela com uma manchete:

SUZANA SORRIDENTE CUMPRIMENTA FELIZ UM SÓSIA DO PRESIDENTE!

E pensa que na próxima vez terá que diminuir o botox, porque as pessoas não distinguem mais quando ela está irritada e... peralá, MEU DEUS, ele disse que... ele disse que... FILOMENA, FILOMEEENÁAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ele disse que viu o safado em O Dia ontem!!! AI MEU DEUSSS!!! FILOMENA VAI JÁ NA BANCA DE JORNAL E TENTA COMPRAR “O DIA” DE ONTEM!!!!!!!!!!!!!!!

(*)Loja de bolsas
(**) O Dia, jornal carioca conhecido pela sua linha editorial popular.

(Fábio Max - nunca direi Mayer)

segunda-feira, novembro 24, 2008

O Natal de Suzana - VI

o sorriso ficou congelado no rosto de suzana.

não que ela tivesse se assustado com a chegada do pálio. é que, devido a litros e mais litros de botox e uma enorme quantidade de plásticas, o sorriso dela demorava a terminar. algo como uma massa de bolo, que demora a perder a forma, escorrendo.

quando ela conseguiu falar, já o motorista do palio se encontrava debruçado em sua janela. um forte cheiro de éter saia de sua boca

"fabio", ela disse, "comé que cê tá, gatinho? pensei que estivesse na terra do obama, lá na beth ford!"

"como, su?," ele disse. "nem dinheiro pro álcool do carro tou tendo, mina. vim aqui pra te pedir uns dólares emprestados. o cara do movimento lá no leblon tá cobrando em euros. só abriu pra mim pagar em dólar por causa de quê eu num entreguei ele. tô na merda, su. meu dá umaa forçaa aí, vai!"

suzana se condoeu. mas não tanto a ponto de liberar suas doletas, ganhas com muito suor na dança do gelo. abriu a bolsa, tirou uma nota de cem e entregou ao rapaz, que parecia com fome. ele tentou demonstrar desilusão no olhar. como nenhum dos dois sabia arte dramática, ela não sacou e ele não soube como fazer. expedito meneou a cabeça. "essa moçada da grobo, hum!", pensou.

suzana, depois de se livrar de fábio, sacudiu a cabeleira vermelha, como uma joelma em chamas e repetiu a ordem: "toca pro shopping da barra".

enquanto isso, na praça de alimentação do centro de compras, uma mulher comia salmão grelhado com brócolis no giraffa's.

Tom

domingo, novembro 23, 2008

Desperdício

Avião da Calypso cai em Recife; banda não estava a bordo

da Folha Online

O avião que caiu na manhã deste domingo em Recife (PE) pertencia à banda Calypso. Duas pessoas morreram: o funcionário do grupo José Gilberto da Silva, 46, e o piloto da aeronave. Segundo Pedro Motta, ex-empresário da banda, os músicos do grupo não estavam no bimotor.


Definitivamente, Deus não é brasileiro.
Isto posto, voltamos ao natal da Suzana.

sexta-feira, novembro 21, 2008

O Natal de Suzana - V

O celular tocou novamente. Pouquíssimas pessoas sabiam de seu novo número, que ela havia trocado por questão de segurança. Devia ser importante.

Era sua assessora de imprensa. Com voz embargada, a fiel escudeira disse que seu ex foi visto no aeroporto, em companhia da fulana que tinha dito uns dias antes no Superpovo que tinha família, que seus pais olhavam por ela e que nunca mais queria olhar pra cara dele.

Suzana, ao ouvir isso, fez aquele olhar 3:05 h, cheio de rímel, sem mover um músculo, como que dizendo "deixa estar". Desligou na cara da assessora e disse:

- Filomena!

- Sim, dona Susa...

- Mande o Expedito preparar o carro que eu vou sair. Pega minha bolsa - disse, se vestindo e se ajeitando dentro do sapato.

- Mas, e a manicure, dona Susa?

- Liga e desmarca. Preciso sair.

[...]

- Expedito, toca pro shopping. Preciso comprar enfeites de Natal para os meus netinhos e um fio-dental pra mim.

Câmera em close: Susana, no banco de trás, faz seu olhar 3:05 h novamente.

(Leticia)

Expedito, como o próprio nome, era expedito. Mais que depressa acabou de encerar os bancos de couro da Pajero preta.

-"a preferida do doutor Marcelo".

Da porta da garagem, acenou para a governanta Filó, dizendo com gestos que o carro estava pronto.

Desde o infausto acontecimento em sua vida amorosa que Suzana tinha se tomado de amores pela suv. Bebia que só uma prostituta, a suv, não a Suzana, mas ela nem aí. Mandava encher o tanque, dava duas voltas no Lebron, como dizia Expedito e toca abastecer de novo. Claro que os empregados todos faziam suas contas e chegavam à conclusão que a gasolina era bem mais barata que o "doutor Marcelo". E riam, à socapa.

Pronto o carro, lá foi Suzana. Bolsa Channel Four enorme, saia godê da Bitch Scat, sapatos Tereza Edilene Neuza, e uma camiseta preta básica DASPU. Um foulard no pescoço - onde mais?-arrematava e dava um ar senhoril à ela. Queria usar óculos escuros mas o que ela gostava, um Doce Cabana com apliques de ouro, era o mesmo que a nova namorada de seu ex-marido estampava nas fotos das revistas. "Só que o meu é original", pensou, maldosa.

O enorme e poluidor veículo manobrou nos jardins, Expedito sorria, aquele sorriso tipo botox de empregado capacho, quando passou pelos grandes portões. Suzana conferia os cartões enquanto dizia em qual shopping queria ir:

"aquele na Barra, perto de onde o Ronaldinho comeu os viados"!

Riu alto de sua própria piada. Expedito riu mais ainda, esbirro e sabujo. Quando o carro surgiu, parando naa frente da Pajero, quase nem viram. Era um Fiat Palio ano 96, de duas portas e sem direção hidráulica ou ar condicionado.

A porta do passageiro se abriu.

(Tom Paixão)

quinta-feira, novembro 20, 2008

O Natal de Suzana - IV

O celular, com aquele jazz eletrônico ruim e estridente, tocou. No caminho para atendê-lo, Suzana deparou-se com um espelho. Incapaz de resistir, ficou ali mesmo, analisando sua imagem, esticando a pele em volta dos olhos. Ela já estava com cara de filipina, herança da operação n. 37, mais uma esticada e ficaria com cara de chinesa.

- Em homenagem às olimpíadas – pensou.

Entreteve-se ali esticando onde podia, e avaliando o resultado. Afinal, já que seu ex-marido estava cogitado pra ser a capa da G Magazine de janeiro, tinha que parecer mais jovem, pois seria certamente a capa da playboy de fevereiro.

O telefone continuava tocando. Ela ignorava.

- Aquele safado – pensava ela enquanto puxava a pele debaixo do braço. - Bem que a Luma me avisou pra não ter treta com militar. Esse povo tá acostumado a vestiário cheio, ordem unida, sei lá. Era mesmo questão de tempo pra ele me trair. Ou sugerir sexo grupal. Sexo. Logo eu que nem sei mais onde está minha perseguida (herança da operação n. 95). Ainda bem que na operação 59 eu mandei colocar meu canal urinário na ponta do dedão do pé. É muito mais prático e elegante pra fazer xixi.

A cena logo vem à mente: ela, de vestido tubinho, com um pé em cima do vaso, as mãos apoiadas na cintura, o queixo pra cima, olho no infinito e, olimpicamente, deixando cair...

- Pena que às vezes me confundo com os pés. Dá uma trabalheira pra limpar o sapato.

Certa vez, um fotógrafo colocou um banquinho a sua frente e pediu para fazer justamente essa pose. Ela não conseguindo segurar mais (esfíncter solto. Resultado da operação n. 43), mandou ver. O fotógrafo, entre admirado e enojado, percebeu a chance de ouro. Iria publicar a foto se ela não lhe desse certa quantia. Ele matou o fotógrafo, escondeu o corpo e ainda escolheu a foto que gostava mais e enviou pra Caras.

O celular parou de tocar, coincidentemente quando ela decidiu que tinha que fazer mais uma operação. Ligou pro cirurgião e perguntou quanto ela rejuvenesceria caso se esticasse mais um pouco.

- Uns vinte minutos – respondeu o cirurgião.

Ela marcou horário.

(Eu!
É! Eu!
Túlio!)

quarta-feira, novembro 19, 2008

O Natal de Suzana - III

o que vê, não a agrada. se cobra de estar pagando tanto por tanta coisa supostamente pra atrasar a chegada do senhor tempo e, ora veja só, sua cara estava vincada de vida. o corpo a agradava, principalmente vestida.

suzana ainda tentou fazer piada. era fatal. toda vez que algo a incomodava, fazia uma piada que dizia ser interna. houve tempo em que achou estar com um certa dose de psicopatia. mesmo ali, fez chiste. "imagine, agora só falta eu ouvir vozes. se ainda for uma tipo do morgan freeman..." e riu, lembrando de uma frase que lera um dia no pasquim:"...às bandeiras despregadas".

riu de novo. e cantarolou um beto guedes e emendou com uma banda de poucos mas fiéis fãs, fogo no circo: "meu coração mineiro quer se aventurar, quer se soltar no mundo e viver de amor"...

lembrou de um caso antigo. ele dizia que mineiro só quer se soltar em música. na vida real, quer mesmo um emprego no governo e viver de brisa. "ah, tom...", suspirou. o celular, com aquele jazz eletronico ruim e estridente, tocou.

(Tom Paixão)

terça-feira, novembro 18, 2008

O Natal de Suzana - II

Chacolhou firmimente as madeixas louras, as maos correram por entres as almofadas com estampas de oncinha em busca de um apoio para que ela pudesse se erguer.

Nesse momento ela nota mais uma nodua em sua mao direita.

-Tenho que ligar para o dermatoligista. Imagine, eu tao nova ja com manchas pela pele.

Estica as pernas e os pes no chao.

- Aiiii, nao devia ter feito tanto pilates ontem. Mas tambem o que eh que eu tinha que ficar fazendo exercicios em plena madrugada. Bom tambem sem marido...

Levanta-se e olha rapidamente no espelho.

(Tulio Bota os acentos, pontos e virgulas, plis!)

Ponho não, Malu.

O Natal de Suzana - I

"Por que se chamava moço
Também se chamava estrada
Viagem de ventania
Nem lembra se olhou prá trás
Ao primeiro passo asso asso..."

Suzana cantava, em meio a balbucios quase-silêncios, essa música de sua juventude. Lembrava com saudade do tempo em que era livre, rosto ao vento, mochila nas costas, em excursões universitárias nas estradas de Minas. Anos verdes em que comer ou não comer não fazia diferença, e os hormônios se alojavam perfeitamente nos vaivéns mensais de seu corpo jovem, sequinho, rijo e naturalmente hidratado. Naquele tempo, os jovens só precisavam de uma barraca e um violão. Não havia o império dos cremes, das dietas, dos tratamentos capilares, da maquiagem e da drenagem linfática.

Cinco minutos. Esse era o período de folga que Suzana amargava entre a saída de seu personal trainer e a chegada da manicure. Antes, curtia longos períodos sentada à beira da estrada, olhando a paisagem multiverde das montanhas mineiras. Hoje, não tolera um segundo sozinha consigo mesma.

Na distração que confunde versos e melodia, traía-se na reformatação do Clube da Esquina:

"... nem lembra se olhou prá trás
Ao primeiro moço oço oço oço oço ooooooçoooo...
E lá se vaaaaai mais um diiiiiii-aaaaaa.... aaaaaaahaaaa...."

A campainha vem estourar violentamente sua bolha de devaneios.

(Leticia)

sábado, novembro 15, 2008

Natal

E então é natal.....
Pois é amiguinhos, o natal tá chegando.
Daí que comecei a me perguntar se faríamos nossa brincadeira anual.
Mas este ano muita gente desapareceu (Letícias, Shirlei, Pata...).
E então passo a bola pra vocês. Acham que seria interessante continuarmos tradição?

sexta-feira, novembro 14, 2008

quinta-feira, novembro 13, 2008

quarta-feira, novembro 12, 2008

Ah, sei... - ou - Efeito Ronaldo

Jovem descobre que namorada grávida era travesti

COCAL DO SUL - O amor algumas vezes realmente é cego, mudo e sem tato.Um jovem de 19 anos se apaixonou por uma mulher, ela engravidou e o casal foi morar junto, em Cocal do Sul. Tudo como manda o figurino, isso se seis meses depois ele não descobrisse que ela não poderia engravidar, não tinha nem mesmo os órgãos sexuais femininos e, na verdade, era um travesti. Com a revelação, na última quinta-feira, ele teve que ser hospitalizado.

O rapaz a conheceu em um bailão há cerca de seis meses e foi amor à primeira vista. Os dois apaixonados mantiveram relações sexuais e, no fim da "festa", se despediram. Um mês depois, a jovem bateu na porta da família do ficante e pediu abrigo: ela estava grávida do jovem de 19 anos.

A sogra adorou a surpresa e prontamente aceitou a nora de braços abertos. O futuro papai também ficou feliz com a novidade. A barriga começou a crescer e os dois viveram alguns meses em perfeita harmonia, até que a relação começou a passar por algumas crises amorosas.

Entre uma discussão e outra, a mulher apanhou e, acompanhada da sogra, foi até a delegacia de Cocal do Sul para registrar um Boletim de Ocorrência, na quinta-feira. No local, deu o nome de Bruna de Souza. Rapidamente, o sistema informou erro, não havia ninguém com este nome. "Começamos a suspeitar de algo errado. Mesmo apresentando uma gravidez aparente, pensamos se tratar de alguém que havia fugido de casa ou que estivesse com mandado de prisão emaberto. Passamos a investigar quem realmente era aquela moça", informa o Policial Evandro Carlos Rodrigues.

Para a surpresa dos investigadores e mais ainda da família que abriu as portas para a Bruna, a moça era um homem, está com 19 anos e é natural de Gravatal. O susto foi tão grande que o companheiro teve que ser internado às pressas no hospital do município: ele teve um mal súbito com a notícia de que a mulher era marido.

O jovem não entendeu nada porque o casal mantinha relações sexuais e ele não havia percebido que a moça tinha órgãos masculino. "O rapaz contou que sempre que se relacionavam, ela apagava a luz e comandava as ações. Em todos estes meses, ela não havia permitido que o companheiro tocasse as suas partes íntimas e, por isso, ele não percebeu nada", explica o policial.

Já sobre a gravidez de Bruna, era apenas uma reação psicológica. Ela creditava tanto que estava grávida, que o corpo passou a desenvolver a barriga. "O travesti aparentemente era uma mulher, enganava bem e não tinha os traços masculinos", acrescenta Evandro.

O caso foi encerrado e o casal, a princípio, iria se separar.

terça-feira, novembro 11, 2008

segunda-feira, novembro 10, 2008

Comemorando a marolinha

Já que a crise não atravessará o Atlântico, o governo resolveu comemorar ensinando a você, pagador de impostos, como fazer a verdadeira caipirinha.
O que vai abaixo é um trecho do do Anexo IV, da Instrução Normativa 55, do Ministério da Agricultura, publicada em 31 de outubro de 2008.
Aprenda!
ANEXO IV
REGULAMENTO TÉCNICO PARA A FIXAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE PARA CAIPIRINHA

Art. 1º O presente Regulamento Técnico tem por objeto estabelecer os padrões de identidade e qualidade aos quais deverá obedecer a caipirinha.
(...)
Art. 4º Os ingredientes utilizados na produção da caipirinha são:
a) ingredientes básicos - cachaça, limão e açúcar:
1. o açúcar aqui permitido é a sacarose - açúcar cristal ou açúcar refinado -, que poderá ser substituída total ou parcialmente por açúcar invertido e glicose, em quantidade não superior a cento e cinqüenta gramas por litro e não inferior a dez gramas por litro, não podendo ser substituída por edulcorantes sintéticos ou naturais;
2. o limão utilizado poderá ser adicionado na forma desidratada e deverá estar presente na proporção mínima de um por cento de suco de limão com no mínimo cinco por cento de acidez titulável em ácido cítrico, expressa em gramas por cem gramas;
b) ingrediente opcional - água:
1. a água utilizada deverá obedecer às normas e aos padrões aprovados pela legislação específica para água potável e estar condicionada, exclusivamente, à padronização da graduação alcoólica do produto final.

(...)

Sim! Isso foi publicado no Diário Oficial da União.
Não sei se é excesso de ceticismo, mas não estou nada surpreso.

Hein?!?!


sexta-feira, novembro 07, 2008

quinta-feira, novembro 06, 2008

quarta-feira, novembro 05, 2008

terça-feira, novembro 04, 2008

Telecurso

Agora fica tudo esclarecido..
O que é Contabilidade?

Para quem não entende nada de contabilidade, vamos explicar mais ou menos como funciona:

A solteira é: Crédito.
A casada é: Débito.
A cunhada é: Previsão para Devedores Duvidosos.
A bonita é: Lançamento Certo.
A feia é: Estorno.
A feia e rica é: Conta de Compensação.
A bonita e rica é : Lucro Certo.
A ex-namorada é: Saldo de Exercícios Anteriores.
A namorada é: Resultado de Exercício Futuro.
A noiva é: Reserva Legal.
A esposa é: Capital Integralizado.
A vizinha é: Ações de Outras Companhias.
A amante é: Empresa Coligada.
As que fazem operações plásticas: Obras e Benfeitorias.
As gestantes são: Obras em Andamento.
As que dão bola são: Incentivos Recebidos.
As que não são viúvas, casadas ou solteiras são: Contas a Classificar.
As que muito namoram e não se casam são: Saldo à Disposição da Assembléia.
As que são surpreendidas em flagrante são: Passivo a Descoberto.

A sogra pode ser classificada como: ... PREJUÍZO ACUMULADO!!!

O hotel do momento


segunda-feira, novembro 03, 2008

Efeito Bradipíttisson - Parte 2

Britânico adota nome 'gigante' para homenagear super-heróis

Estudante vai tentar entrar para o 'Guinness'. Sua avó parou de falar com ele, depois da mudança de nome.

(Do G1, em São Paulo)

Um estudante de 19 anos, que até a semana passada se chamava George Garratt, trocou seu nome para fazer uma homenagem aos super-heróis e tentar entrar para o "Guinness" – ele acredita ter o nome mais longo do mundo. Em português, o britânico se chamaria "Capitão Fantástico Mais Rápido que o Super-Homem Homem-Aranha Batman Wolverine Hulk e Flash Juntos".


sexta-feira, outubro 31, 2008

Mais sobre a 'marolinha'

"Devido às quebras de bancos, queda nas bolsas, cortes no orçamento, crise nos combustíveis e pelo racionamento mundial de energia, informamos que a famosa "luz no fim do túnel" será desligada."

Diploma da Universal

Abaixo o diploma distribuído pela igreja universal aos seus dizimistas - ou os imbecís que fazem a riqueza do seu edir.
Reparem na assinatura.


Sim! É ele! Sr. Jesus Cristo!
Ele voltou! Ele Voltou!

Efeito Bradipíttisson

Wonarllevyston, aos 13 anos, consegue mudar nome na Justiça de MS

Mãe do garoto, Dalvina, acrescentou Xuxa ao próprio nome.
Prima dele se chama Linda Blue Junia Sharon Mell Melina Marla Cyndi.

(Glauco Araújo Do G1, em São Paulo)

O cidadão brasileiro que quiser mudar o nome que o incomode, provoque constrangimento ou o exponha ao ridículo pode pedir na Justiça a alteração do Registro Civil. Esse foi o caso do estudante Wonarllevyston Garlan Marllon Branddon Bruno Paullynelly Mell (e outros três sobrenomes, que não serão citados para preservar o jovem, de apenas 13 anos).

A mãe dele, Dalvina Xuxa (e dois sobrenomes), entrou com o processo de retificação de registro civil em Campo Grande, em abril de 2007. O juiz Fernando Paes de Campos, da Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos, autorizou, em agosto do mesmo ano, a mudança do nome do garoto, que hoje passou a ter um nome composto e dois sobrenomes.

Veja lista com pessoas que pediram para mudar o nome na Justiça de MS:

Altezevelte
Alucinética Honorata
Maxwelbe
Claysikelle
Maxwelson
Mell Kimberly
Wildscley
Frankstefferson
Hedinerge
Starley Hezenclever
Uallas
Udieslley
Ulisflávio
Hollyle
Hugney
Necephora Izidoria
Kristofer Willian
Locrete
Venério
Walex Darwin
Yonahan Henderson
Maxwelson
Wochton
Wallyston
Waterloo
Wolfson

quinta-feira, outubro 30, 2008

Sobre a 'marolinha'

'Com essa crise atual, eu tenho dormido feito um bebê.
Acordo de três em três horas, todo cagado e chorando.'

quarta-feira, outubro 29, 2008

Serviço Patos de auto-ajuda

Capítulo 1: o mantra
Repitam comigo
"Eu nunca mais vou reclamar do meu trabalho..."
"Eu nunca mais vou reclamar do meu trabalho..."



quarta-feira, outubro 22, 2008

Terrorismo


Humor negro

No portão celestial recebendo os recém-chegados, São Pedro pergunta ao próximo na fila:

- Você quem é, e o que fez na Terra?

- Sou Barack Obama, e fui o primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

- Um presidente negro eleito nos Estados Unidos... Quando foi isso?!

- Não faz nem meia hora...

terça-feira, outubro 21, 2008

Além da operação

Fazer amigos é sempre bacana, sejam eles virtuais ou reais.
Nessa estadia em brasólia fiz vários deles. Alguns pra uma semana, outros pra sempre.
Uma dessas grandes amigas me deu um inusitado presente de despedida.
Devo avisar que as imagens são fortes. Então vejam por sua conta e risco.













À Lorna, uma amiga pra sempre, o meu brigadão!
(PS: making of by Lorna)

Boa resposta, Kassab!

"Eu até queria casar,mas tive medo de pegar uma vagabunda que pudesse me trair com algum malandro argentino".

sábado, outubro 18, 2008

Piada de loira

Pior é ser loira e política.
Nessa, a Marta foi dar bom dia até pra manequim, na porta de uma loja.



Vortei!

Sim!

Já estou em BH começando vida velha.
A pequena cirurgia também foi, nas palavras do meu médico, "do caralho". Agora só preciso passar um mês sem por os pé no chão. Coisa fácil.
Mas tá tudo bem.
Voltamos à programação normal.

Abraços.

sexta-feira, outubro 10, 2008

Em manutenção

Semana complicada...

A mudança já foi toda hoje, e estou numa casa careca. Ficarei preso aqui mais uma semana pois, na quarta, me submeterei a uma pequena cirurgia. Quero fazer isso aqui, enquanto ainda tenho plano de saúde. Não acredito naquela história de "a saúde está quase perfeita".
Logo depois, na sexta, finalmente vou pra BH e o ritmo tende a melhorar.

Espero merecer mais um pouquinho de compreensão.

terça-feira, outubro 07, 2008

segunda-feira, outubro 06, 2008

Davi de Michelangelo volta de viagem aos EUA

ESTÁTUA VOLTA À ITÁLIA DEPOIS DE TURNÊ NOS EUA.


Depois de dois anos nos Estados Unidos, a estátua de David, de Michelangelo, vai embarcar de volta para Itália.



Com o patrocínio de




quarta-feira, outubro 01, 2008

Pra quando eu ficar doente

Bahia, cidade de Brejões.
Tem um bar maravilhoso.
Não é um bar, é um local.
Esse bar tem remédio pra tudo!


terça-feira, setembro 30, 2008

Luto


Este blog está em luto pelo falecimento do trema.

segunda-feira, setembro 29, 2008

Montanha russa de pobre

video

Diário de uma loira motorista

5 de Janeiro
Passei no exame de direção!
Posso agora dirigir o meu próprio carro, sem ter que ouvir as recomendações dos instrutores, sempre dizendo : 'por aí é sentido proibido!', 'vamos sair da contra-mão!', 'olha a velhinha!', 'freia!
freia!', e outras coisas do gênero.
Nem sei como agüentei estes últimos dois anos e meio...
_____________________________
8 de Janeiro
A Auto-Escola fez uma festa de despedida para mim! Fiquei muito emocionada! Os instrutores nem sequer deram aulas! Um deles disse que ia à missa... Juro que vi outro com lágrimas nos olhos e todos disseram que iam embebedar-se, para comemorar. Achei simpática a despedida, mas penso que a minha carteira não merecia tal exagero. Eles foram muito generosos! Umas
gracinhas mesmo!
___________
12 de Janeiro
Comprei meu carro e, infelizmente, tive que deixá-lo na concessionária para substituir o pára-choque traseiro pois, quando tentei sair, engatei marcha a ré ao invés da primeira. Deve ser falta de prática!
Também... há uma semana que não dirijo..
_______________________________
14 Janeiro
Já tenho o carro. Fiquei tão feliz ao sair da concessionária, que resolvi dar um passeio.
Parece que muitos outros tiveram a mesma idéia, pois fui seguida por inúmeros automóveis, todos buzinando como num casamento. Para não parecer antipática, entrei na brincadeira e reduzi a velocidade de 10 para 5 km por hora.
Os outros gostaram e buzinaram ainda mais. Foi muito legal....
_____________________________
22 Janeiro
Os meus vizinhos são impecáveis. Colocaram posters avisando em grandes letras 'ATENÇÃO ÀS MANOBRAS' e marcaram, com tinta branca fluorescente, um lugar bem espaçoso para eu estacionar e, para minha segurança e conforto , proibiram os filhos de saírem à rua enquanto durassem as manobras. Penso que é tudo para não me perturbarem.
Ainda há gente boa neste mundo...
_______________________________
10 de Fevereiro
Os outros motoristas tem hábitos estranhos.Além de acenarem muito, estão sempre gritando.
Não escuto nada, por estar com os vidros fechados, mas parece que querem dar informações. Digo isto porque julgo ter percebido, através de leitura labial, um deles dizendo: 'Vai para casa '. Não sei como ele adivinhou para onde eu ia! Acho isso espantoso.
De qualquer modo, quando eu descobrir onde fica o botão que desce os vidros, vou tirar muitas dúvidas.
________________________________
19 de Fevereiro
A Cidade é muito mal iluminada. Fiz hoje meu primeiro passeio noturno e tive de andar sempre com o farol alto aceso, para ver direito. Todos os motoristas com quem cruzei pareciam concordar comigo, pois também ligaram o farol alto e alguns chegaram mesmo a acender outros faróis que tinham. Só não entendi a razão das buzinadas.
Talvez para espantar algum bicho. Sei lá.
________________________________
26 de Fevereiro
Hoje me envolveram num acidente. Entrei numa rotatória e como tinha muito carro (não quero exagerar mas deviam ser, no mínimo, uns quatro !), não consegui sair. Fui dando voltas bem juntinho ao centro, à espera de uma oportunidade, de tal forma que acabei por ficar tonta e bati no monumento no centro da rotatória.
Acho que deviam limitar a circulação nas rotatórias a um carro de cada vez.
________________________________
3 de Março
Estou em maré de azar. Fui buscar o carro na oficina e, logo na saída, troquei os pés, acelerando fundo em vez de frear. Bati num carro que ia passando, amassando todo o lado direito.O motorista , por coincidência, era o inspetor que me aprovou no exame de direção.
Um bom homem, sem dúvida. Insisti em dizer que a culpa era minha, mas ele educadamente, não parava de repetir para si mesmo:
- 'É tudo minha culpa! É tudo minha culpa! Que Deus me perdoe!'

quinta-feira, setembro 25, 2008

terça-feira, setembro 23, 2008

Hoje tem marmelada?

Olha só quem entrou na corrida eleitoral!

Uma pista: ele é careca.




Enviado pelo concorrente dele, o Tom.

sexta-feira, setembro 19, 2008

Mesmo estilo

Ninguém pode dizer que Narcisa Tamborindeguy, repórter do Superpop, não siga o estilo da dona do programa, Luciana Gimenez.
Dia desses, Narcisa encontra Paulinho Jobim e pergunta:
"E aí, Paulinho, me conta uma novidade sobre o Tom (Jobim)".
E ele: "Bem, já faz algum tempo que não tenho novidades sobre ele".
Na mesma noite, na cobertura de um casamento, Narcisa vai à noiva:
"E aí, querida, onde vai ser a lua-de-mel?"
E a moça: "Vou para as Ilhas Seychelles".
E Narcisa: "Que maravilha? Vai com o maridão?"
 
(Coluna Giba Um, 19/09/2008)