terça-feira, novembro 25, 2008

O Natal de Suzana - VII

Enquanto isso, na praça de alimentação do centro de compras, uma mulher comia salmão grelhado com brócolis no Giraffa’s, prova inconteste do requinte e sofisticação do local, no qual mesmo as lojas mais populares apresentam um diferencial que leva 9 em cada 10 celebridades a satisfazer ali seus ânimos consumistas, o que não seria diferente com Susana.

Suzana deixou Expedito no estacionamento VIP, com ordens de aguardá-la, porque faria uma visita rápida, coisa de 4 ou 5 horas para fazer algumas compras para esquecer das vicissitudes da vida. E descendo pela escada rolante, em direção à Victor Hugo* eis que do outro lado do shopping uma pessoa começa a berrar o seu nome:

- Dona Suzáana..dona Suzaaaaaanáa!!

Ela tenta esconder o rosto levando uma das mãos ao rosto como quem tenta arrumar os enormes óculos Dolce & Gabbana, virando a cabeça na tentativa de agir como se não fosse com ela e fugir daquela figura nefasta que incompreensivelmente foi autorizada a entrar no shopping e vinha rapidamente em sua direção, tropeçando nas pessoas, quando não em suas próprias pernas.

Mas foi inútil.

Assim que saiu da escada rolante, foi deprimentemente abordada por um indivíduo atarracado, com a barba desgrenhada e os olhos esbugalhados, que vestia uma camisa surrada do Corinthians, bermudão e chinelos Raider, se bem que iguaizinhos aos que o Gianechini usa sempre que vai à praia:

- (puf!puf!puf!) Dona Suzáana, sou seu fã (puf!puf!), peraí um minuto (puf!puf), quero falar com a sinhora!

- Ai meu querido, estou ocupada e tenho hora marcada, desculpe mas...

- (puf!puf) Peraí dona Suzáana, sou seu fã, me dá um minutinho pô!

E ele tentou se desvencilhar, e de nariz empinado sem aparentar dar muita importância, tentava de todos os modos sair dali, mas o nefasto a perseguia e parecia não entender o seu olhar de desprezo.

- Dona Suzáana, pô...mi dá um atógrafu? (...falando sem parar, nem sempre de modo compreensível...) Sou doidio pela sinhora. Minha galega, Marizia, á doidia pela sinhôra e a-do-ra aquele seu maridão sarado que aparece nas figura da revista Caras, hoji mesmo eu vi ele na primera página dodia**(...falando sem parar, nem sempre de modo compreensível...) foi uma coincindência dos corne incontrá a sinhora aqui hoje! Luria e Lulica adoram a sinhora tamém, aliais, meus amigo Tonhão Paloco, Minu Carto e Tarso tamém, nois as veiz toma uma birita na frente da Tv e quando a sinhora aparece num deixamo de dizê: - ôooo galega de talento!!! Nunca dêxamo de assisti suas novela, fiquei puto cãs brincadêra que o Faustão feiz com a sinhora na dança do gelo... (...falando sem parar, nem sempre de modo compreensível...)

E ela tentando esconder a vergonha e fazendo um esforço enorme para não esganar aquele indivíduo pega sua caneta Montblanc dourada e uma foto sua (sempre leva dúzias delas para todo lugar onde vai) na bolsa e pergunta para ele:

- Qual seu nome meu que-ri-do???

- Luis Lulla dona Suzánna, prizidenti di alto iscola, ao seu dispor.

- Lula? Pô você é a cara do...

- Eu sei, eu sei, todo mundio me dizisso, já até conheci ele pissoalmente lá mermo no paláciu, nessa merma época ano passadu, a sinhora num aquerditaria como... mas...mi dá o atógrafu?

- Dou sim, dou sim QUE-RI-DO!!!

- Eu sabia, eu sabia!!! A sinhora é mais simpática que o padre Marcelo Rossi, eu sempre disse pra todo mundo que essa galega é do povão mermo, essa num negaria fogo numa roda de cachaça com músicas do Rio Negro e Solimão!

- Ai seu Lul...digo, seu Luis, posso dedicar o autógrafo pro senhor.

- Ahhh dona Suzáana, si num for pidi muito, ponha uma frase bem bunita tipo ansim: De SUZÁANA E MARCELO para Luis Lulla e Marízia Lulla.

Era só o que faltava. O cara cheirando a caipirinha, com uma camisa do Corinthians que nem a marca Nike apresentava e agindo como um completo analfabeto que nunca leu Caras para não saber que ela e Mar...o safado&&¨%%%! Estavam separados ainda pede um autógrafo falando disso... muito sofrimento para uma pobre mortal como ela.

E enquanto seu interlocutor falava sem parar e inexplicavelmente não percebia a sua cara de insatisfação, de raiva, rancor, ódio e de vontade sincera de lhe arrancar os olhos, escreveu no verso na foto e a entregou quase esfregando-a no rosto dele e dizendo:

- Ta aqui seu Luis, desculpe não poder conversar mais com o senhor, mas combinei com uma amiga de comer salmão grelhado com brócolis ali na praça de alimentação e ela já deve estar me esperando...

Ele pensou consigo (eeeeca! Salmão? Brócolis? Calebridadji come mau mêmo) e disse:

- Muitio obrigado dona Suzáana, nem sei como agradecer, Marizia nem terá palavras e...

- Tá bem seu Luis, beijocas para todos!

E deu as costas saindo quase que em disparada para qualquer lugar onde se livrasse daquela... coisa!

No dia seguinte, Suzana ainda exausta das trágicas 24 horas anteriores, leva um susto ao abrir o jornal e ver uma foto enorme dela com uma manchete:

SUZANA SORRIDENTE CUMPRIMENTA FELIZ UM SÓSIA DO PRESIDENTE!

E pensa que na próxima vez terá que diminuir o botox, porque as pessoas não distinguem mais quando ela está irritada e... peralá, MEU DEUS, ele disse que... ele disse que... FILOMENA, FILOMEEENÁAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ele disse que viu o safado em O Dia ontem!!! AI MEU DEUSSS!!! FILOMENA VAI JÁ NA BANCA DE JORNAL E TENTA COMPRAR “O DIA” DE ONTEM!!!!!!!!!!!!!!!

(*)Loja de bolsas
(**) O Dia, jornal carioca conhecido pela sua linha editorial popular.

(Fábio Max - nunca direi Mayer)

10 comentários:

Túlio disse...

Crianças:

a partir de amanhã, estarei incomunicável em alguma cidade litorânea desse brasilzão. Divirtam-se aqui nos comentários mesmo. Podem ficar a vontade. Quando voltar, arrumo a casa.

Fábio Mayer disse...

Ah bom!

Restituí o seu direito à comissão no prêmio Nobel...

Túlio disse...

Eternamente grato, seu Fábio.

malu disse...

Vai com a Suzana?
Quantos dias durara essas ferias?

malu disse...

Vai com a Suzana?
Quantos dias durara essas ferias?

Leticia disse...

Aeeeeeeee, Fábio! Cadê as meninas? Malu, escreve mais! Shirlei, Vivi... Cadê todo mundo?

TOM disse...

ara

TOM disse...

filomena tinha uma irmã. as duas saíam em alas da unidos de são clemente. ambas eram portelenses roxas. mas nunca tiveram dinheiro pra comprar as roupas("as rõpa", diria expedito). como o marido da irmã de filó tinha matado um cara que queria matar o bicheiro que comandava são clemente, elas ganhavam do agradecido chefão, o mimo das fantasias. esmeralda, nome da irmã de filó, trabalhava como camareira num teatro que ela nunca lembrava o nome. às vezes elas apostavam quem apareceria primeiro na tv, por causa dos trabalhos delas. não é que a esmê, como a irmã era chamada, ganhou? numa festinha na coxia de uma atrizinha que esmê nem achava com muito sal, o namorado da tal atriz, dado sei lá o quê, cheirou, bebeu ou fumou ou tudo ao mesmo tempo agora, surtou e tascou bolachas na cara da tal atriz. esmê passava pelo local, carregando uma toalhas cheias de um líquido branco viscoso, que recolhera no camarim da atrz. sem que visse de onde veio, tomou uma muqueta pela cara à fora e desabou no chão. virou manchete em todos os jornais e sites no dia seguinte. quando ligou pra filó pra contar, disse: " eu fico com a boca toda doendo, de vontade de rir. mas meu adevogado, doutor mayer, disse pra eu ficar com cara bem triste que dá pra arrumar uns caraminguás. daí posso fazer aquele puxadinho e levar lahvynyah idelzuita pra morar lá em casa!". tudo isso vinha à mente de filó quando se dirigia pra banca em busca do jornal pedido por suzana. absorta em seus pensamentos, não viu quando o carro fez a curva em alta velocidade. o sinal,(sinaleira, farol, semáforo), estava aberto para os carros.

Fábio Mayer disse...

PEDIDO:

Parem de imaginar o Fábio Max alemão carrancudo que nem sempre mede palavras, imaginem-me como alguém com olhar de cachorro perdido ao fazer este pedido:

Sei que provavelmente vocês todos já fizeram doações, mas, SC precisa de artigos de higiene pessoal, especialmente feminina e infantil:

- Absorventes íntimos;
- fraudas descartáveis;
- pasta de dente;
- sabonete;

E também de produtos de limpeza.

POR FAVOR!!! Se cada um de nós doar nem que seja um produto deste, já estaremos dando grande ajuda. Vamos lá!

Fábio Mayer disse...

E daí Túlio?

Suzana tá bem? Foi boa a praia?