terça-feira, novembro 18, 2008

O Natal de Suzana - II

Chacolhou firmimente as madeixas louras, as maos correram por entres as almofadas com estampas de oncinha em busca de um apoio para que ela pudesse se erguer.

Nesse momento ela nota mais uma nodua em sua mao direita.

-Tenho que ligar para o dermatoligista. Imagine, eu tao nova ja com manchas pela pele.

Estica as pernas e os pes no chao.

- Aiiii, nao devia ter feito tanto pilates ontem. Mas tambem o que eh que eu tinha que ficar fazendo exercicios em plena madrugada. Bom tambem sem marido...

Levanta-se e olha rapidamente no espelho.

(Tulio Bota os acentos, pontos e virgulas, plis!)

Ponho não, Malu.

3 comentários:

palhaço disse...

É! Dermatoligista!!!

TOM disse...

o que vê, não a agrada. se cobra de estar pagando tanto por tanta coisa supostamente pra atrasar a chegada do senhor tempo e, ora veja só, sua cara estava vincada de vida. o corpo a agradava, principalmente vestida. suzana ainda tentou fazer piada. era fatal. toda vez que algo a incomodava, fazia uma piada que dizia ser interna. houve tempo em que achou estar com um certa dose de psicopatia. mesmo ali, fez chiste. "imagine, agora só falta eu ouvir vozes. se ainda for uma tipo do morgan freeman..." e riu, lembrando de uma frase que lera um dia no pasquim:"...às bandeiras despregadas". riu de novo. e cantarolou um beto guedes e emendou com uma banda de poucos mas fiéis fãs, fogo no circo: "meu coração mineiro quer se aventurar, quer se soltar no mundo e viver de amor"...
lembrou de um caso antigo. ele dizia que mineiro só quer se soltar em música. na vida real, quer mesmo um emprego no governo e viver de brisa. "ah, tom...", suspirou. o celular, com aquele jazz eletronico ruim e estridente, tocou.

Leticia disse...

Aêêê!!!....

Próximo!