domingo, dezembro 21, 2008

O Natal de Suzana - XVIII - Final

Suzana deu folga pra criadagem. Afinal, eles tinham de ir pra casa e fazer suas próprias ceias.

Suzana se viu num mato se cachorro, pois já havia comunicado à família em junho que passaria os festejos natalinos ao lado do seu mozão. 

Na ocasião a família estranhou, porque não era esse o hábito. Lamentou a ausência da vovó. Por outro lado, ficou aliviada porque o mozão da vovó começava com inconveniências depois de certa hora: bebia além da conta, reclamava do pedaço do peru que lhe cabia, começava a fazer gracejos às mulheres presentes e patinava em seu palavreado chulo. Teve uma vez até que passou a mão na bunda da nora de Suzana. A nora ficou indignada e falou com o marido, que, muito diplomático, pediu para que Marcelo se retirasse. Mas logo resolveu botar panos quentes, porque tal situação poderia atingir vovó, que não levava desaforo pra casa, e ele não queria ser o pivô de um problema familiar. Sua esposa ficou tiririca da vida, mas ele contornou a situação nas noites seguintes. 
Além de tudo, havia um problema técnico-logístico: o apartamento do filho é muito pequeno, e havia um só banheiro, ocupado insistentemente por Marcelo durante toda a noite, impossibilitando, assim, que as demais pessoas pudessem usá-lo. Uma vez, inxcrusive, a família apelou à boa-vontade do vizinho, que os atendeu esfregando a língua em um dos dentes, tentando se livrar de uma fibra de peru. Não estava lá com muito boa-vontade, e a situação foi constrangedora.

Mas, como família é família, e diante da tragédia aliviadora que se abateu sobre vovó, refizeram o convite. Suzana, que tropeça mas não cai, disse em tom desaforado que já havia sido chamada pelo Presidente da República e espôôôusa (que não perde uma novela sua) pra passar a noite de Natal na Granja do Torto. 

- Mas mamãe, creio que a senhora se sentirá mais confortável passando o Natal com sua família, com seus netinhos adorados...

- Não, meu filho... Deixa sua mãe purgar seus problemas. Estou tão achacada com os últimos acontecimentos, com todo o mico que paguei, por ter imposto uma pessoa tão mal-educada pra vocês durante esse tempo todo, que acredito que será uma boa passar o Natal com gente de modos muito, mas muito piores que o do falecido.

- Mesmo assim você estará sozinha, mãe!

(ainda no telefone, olhando vingativa e friamente para o alto, meio de ladinho, com aqueles olhos cheios de rímel e lápis) - Não, não estarei não, meu querido. Estou ficando com um rapaz que conheci na churrascaria. Tá certo que ele tira carne dos dentes com o dedo, mas com o tempo isso se resolve. Deixa estar (franze os lábios redondos e cheios de batom dubom e desliga).

(Leticia)

5 comentários:

Túlio disse...

Isso aí, Lets!!

Não fosse você, hein, hein?

Fábio Mayer disse...

Se nessa festa de Natal também estiverem a Dilma, o Tarso, o Serra e o Aécio, vai dar galho!!!

...E quem vai pagar a conta somos nós, os contribuintes!

Fábio Mayer disse...

Túlio,
RicardoTulio,
Malu,
Vivi,
Shirlei (que sumiu),
Júlia (que desapareceu),
Leticia,
Tom,
Luiz Lulla,
etc...

Quero só deixar os votos de um Feliz Natal e um Ótimo Ano Novo para todos:

Leticia disse...

Um ótimo Natal pra todos vocês!

Ricardo Andrade disse...

E a saga continua...

Boas festas a todos..