quinta-feira, janeiro 10, 2008

Testemunho de fé


Acabo de me vacinar contra a febre amarela, e gostaria de dar meu testemunho sobre a organização brasileira.

Como bem disse a Letícia, lá no Flanela Paulistana, a febre amarela é uma doença erradicada desde mil novecentos e guaraná de rolha, que o PT, morrendo de saudades, ressuscitou.

Depois de algumas mortes, as filas para a vacina se formaram enormes. Apesar disso, todo dia o secretário vem à TV dizer que não existe epidemia, não há motivo pra pânico, não há filas nos postos de saúde, não faltam vacinas e, portanto, não há necessidade de organizar um esquema de emergência.

Bem, o dia amanheceu chuvoso e pensei cá com os meus botões (que não responderam porque, afinal, são botões): “hoje a fila deve estar menor”. Lá fui eu, 7:30 da manhã, pensando que por volta de 8:30 já estaria tudo resolvido. Cheguei e a fila (que não existe) já estava dando voltas. Prevenido que sou, levei um livro e pus-me a ler.

8:00. Hora de abertura do posto de saúde. Não deu nem 15 minutos e a fila começou a andar. Fiquei animado: “não é que esse troço tá fluindo?”. Pois aí fiquei sabendo que as vacinas (aquelas que não faltam) ainda não tinham chegado. E a fila tava andando não porque as pessoas estavam sendo vacinadas, mas porque estavam desistindo.

Bom, eu já estava lá, e me conhecendo bem, sabia que seria muito difícil eu voltar outra hora. Resolvi esperar. E ler.

9:00. Notícia: as vacinas chegaram! Agora os “servidores públicos” iriam percorrer a fila (eu já disse que estava chovendo?) em busca de idosos que teriam prioridade. Nada mais justo.

9:30. Nada da fila andar. Mais uns dez minutos e começamos a caminhada. Chegamos a um ponto em que um “servidor público” gordinho controlava a fila, enviando turmas de dez em dez para dentro do prédio.

Quando finalmente fui um dos dez felizardos, me mandaram por um labirinto que, juro, se estivesse sozinho provavelmente estaria perdido lá até agora.

Finalmente cheguei a uma mesa onde uma moça anotava os nomes dos felizardos em um cartão, e depois enviava para outra fila, a da vacinação propriamente dita.

Então lá estava eu, cartão na mão, com apenas cinco pessoas entre mim e a agulha. “Mais alguns minutos...”, pensei. Foi quando surgiu o gordinho controlador de filas e me tirou, junto com mais três pessoas: “vocês, vêm comigo.”

E partimos por mais um labirinto de corredores onde, afinal, ele nos deixou em outra fila. MUITO MAIOR DO QUE A ANTERIOR!

Lá dentro duas “servidoras públicas” aplicavam as injeções com uma animação que só vi semelhante em enterros.

Depois de praguejar bastante, entrei já com a manga dobrada e 2 segundos depois estava de saída.

Pronto! 10:30 e eu já estava vacinado!

Saí emburrado, sem agradecer à mocinha emburrada que me enfiou a agulha, gesto pelo qual ainda me penitencio.

É muito orguio!!!!

17 comentários:

shirlei disse...

Credo, Tulho.... Acordou com o pé esquerdo...

Três horas para CONSEGUIR ser vacinado é primeiro mundo, é a saúde "atingindo a perfeição".

Quer que eu te conte os causos de gente que morre na fila?

Aí: ouvi falar que essa vacina pode até matar, viu? Sei não...

Fábio Mayer disse...

Não vivemos no Brasil, vivemos na BELINDIA. Impostos da Bélgica com serviços públicos da Índia.

Pergunta: A CPMF vigorou por 14 anos, com média de arrecadação de 30 bilhões por ano. O que aconteceu com os 420 bilhões que foram roubados da sociedade brasileira, se a saúde pública em nada melhorou nesse tempo todo?

Eu gostaria de conseguir fazer piada sobre esse assunto, mas é pena, não tem jeito...

tom paixão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Túlio disse...

Tá desejando minha morte, Xirlei?
Quê que eu te fiz?

tom paixão disse...

o que já virou praxe, virou praxe: por mais metido a engraçadinho que sou, no entanto faço minhas as palavras de doutor mayer.
que vontade de mandar tomar...

Túlio disse...

Tomar vacina, Tom?

tita coelho disse...

Túlio, todo esse tempo na fila para vacinar e tu não mandou ninguém a merda...fala sério! rsrs
Como dizia a propaganda do GOV. FEDERAL...SOU BRASILEIRO E NÃO DESISTO NUNCA! CREDO!!
beijos

Vivi disse...

Tá doendo, Túlio?

Leticia disse...

Tulio, eu às vezes (só às vezes) paro pra pensar se não sou muito implicante com as questões comezinhas lá de casa. Acho que não, né?
Em todos causo, fico feliz de você já ter se vacinado. Você lembrou de friccionar o braço quando saiu? Funcionária pública aplicando vacina causa hematoma, hein? Eu digo porque uma vez fui doar sangue no HC, e acontece que o meu sangue coagula muito rápido, e a mangueira "entupiu". Ela me disse: "a mangueira entupiu" e, para desentupir a mangueira, começou a balançá-la e não segurou a agulha, e ela acabou girando dentro de mim no sentido horário, e no anti-horário também. No fim do dia estava com o braço todo verde.

shirlei disse...

Como vocês reclamam da vida, pelamordedeus...

Três horas... tomou a vacina... tá certo que corre risco de vida, mas febre amarela não pega não, viu?

malu campos disse...

Tenho uma denuncia gravissima a fazer:
"Estou sendo senssurada aqui nos Patos!!!"
Posto comentarios e eles desaparecem. Socorro.
Tem algum aDEvogado na sala?

shirlei disse...

Arrá, seo Tulho... trabalhando pra "Inteligência" brasileira, hein? hein?

Orlando Tambosi disse...

Túlio, você, pelo menos, já está salvo.

Túlio disse...

Tô não, Tambosi. A vacina demora 10 dias pra fazer efeito. Até lá, repelente.

Túlio disse...

É mentira!
Não Senssuro ninguém aqui.
Deve ser coisa do Blogger, esse reacionário!

malu campos disse...

Ta, me senssurando sim, quero ver so meu commen some agora que oce aparesseu.

Na hora a vaccine nao doi nadica mas espera laguns dias...

Julia disse...

Essa vacina é obrigatoria pra viajar e integrar mesmo de ferias na França.Sobre muerte existiu françaises conhecidos que morreram no hotel na cidade do Rio de Janeiro porque os medicos brasileiros não estavam aptos pra diagnosticar doenças tropicais e febres amarelas & cia!

Beijinho no seu braço pra passar as raivas sofridas. Mas o importante é que você esta pronto pra viajar (rsrsrs)