sexta-feira, maio 18, 2007

Entrevista e etc.


Tá bom.

Já passou um tempo e dá pra falar da “entrevista” do Lula com uma certa distância.
Pra quem não viu, a coisa foi assim: 15 perguntas, uma pergunta para cada jornalista, sem direito a réplica. Por quê? Bem, porque assim o presidente fica com a última palavra e também impede que se aprofunde no tema.


A única réplica permitida foi a um jornalista da Band. Ué, essa não é aquela Band que dá apoio inconteste ao presidente? Não é daonde saiu o nosso isento ministro Franklin Martins? Não é aquela que é sócia do Lulinha, o gênio da comunicação?


Deixa de pensar besteira! Isso é apenas coincidência, nada mais.

Bom, voltemos. Mesmo com todos esses cuidados, Noço Guia ainda conseguiu se enrolar. Disse, entre outras, que não sabia (novidade!) porque o Ibama estava em greve. Que a Bolívia é dona de seus recursos naturais (naturalmente) e que ela vende ao brasil se quiser (claro), mas que ele – e ele caprichou no tom de voz durão – esperava que os contratos, quando os tivesse, fossem cumpridos. Ué, era isso que estava acontecendo até agora?

Disse também que os outros países latino-americanos viam o brasil como um pais imperialista. E que eles tinham razão de pensar assim. Essa eu sinceramente não entendi. O que é ser imperialista? É ser o maior país do continente, e, por isso, ameaçador? Qual a solução? Fatiar? Ou ser imperialista é cuidar dos interesses do país e de seu povo? Se for, eu quero ser imperialista.

Isto posto, restam algumas perguntas:


- Pra que serve uma entrevista encomendada?
- Se estava tudo armado, porque o presidente não conseguiu se sair melhor?
- Porque jornalistas sérios aceitam participar desse circo?
- Falando em circo, somos todos palhaços para acompanhar a segunda entrevista coletiva do homem em cinco anos de governo, quando, durante a campanha para a reeleição, ele jurou que falaria “quase todo dia com os jornalistas”?

Taí. Quem quiser, responda.


Propaganda político partidária

Ontem teve propaganda político partidária do PT. Esse tipo de propaganda “gratuita” serve, antes de tudo, para encher o nosso saco. Apesar disso, assisti com a atenção que pude.
Lembram que durante a campanha para o re-governo a ordem era afastar a imagem do PT, afundado em escândalos de corrupção e até crimes contra a vida? Pois bem, a ordem agora é fazer o caminho inverso. Ligar ao máximo a imagem do PT ao governo. A frase mais repetida ontem foi “o governo do presidente Lula, o governo do PT...”.

Será que eles resolveram sentir orgulho do PT agora, ou será que é porque, até segunda ordem, Lula não pode se reeleger a um terceiro mandato, o que possivelmente feriria de morte o partido?

Sei não. Acho que é coincidência de novo.


Pra terminar, uma singela frase do Grande Timoneiro, destacada hoje na coluna do Cláudio Humberto:


“Como sindicalista eu só precisava xingar o governo”
(Presidente Lula admitindo que atacava os governantes sem muito conhecimento)

Pelo menos é honesto.

21 comentários:

Lets disse...

Olha, Túlio, eu não vi essa coletiva, não. Fosse há uns meses, um ano atrás, eu teria visto com o único e exclusivo intuito de espinafrar o que pudesse, o que, convenhamos, é baba nesse governo.

Eu cansei. Cansei mesmo. Cansei principalmente da imprensa. Essa droga de coletiva foi até elogiada por aí, pelo simples fato de o suíno ter se dignado a participar dela. O PAC, que hoje é só um nome flutuando, foi tido com uma grande coisa, quando na verdade devia ser lição de casa de todo governo. Coisa que FHC não fez. E coisa que Serra está fazendo aqui em SP, quieto, como convém a um trabalhador de que se preze.

Não tenho paciência com pedagogia. Não tenho mesmo! E aplaudir algum aprendizado, só o do meu sobrinho, em nome de todas as demais crianças. Só. Porque é bonito e nos dá enormes esperanças. Como ele ter dito "minhoca" ontem no telefone.

Agora, um cara tosco, que tem raiva e medo da imprensa, ser aplaudido por conseguir dar uma coletiva, é o fim do mundo. Cansei de passar esses anos todos vendo os progressos desse idiota.

Túlio disse...

Esqueci de comentar que o programa de ontem foi sobre educação. E o ponto alto foi quando o apedeuta apareceu no final dizendo que não teve oportunidade de fazer uma faculdade.

Que isso, presidente! Até o Vicentinho se formou em direito depois de velho. Não teve oportunidade, não. Não quis!

Fábio Max disse...

Essas entrevistas coletivas com presidente nunca foram sérias, seja quem fosse o presidente.

Com Lula não seria diferente e ficamos naquele eterno tom de campanha, parece que ele está sempre no palanque, já notaram? Bem dito que isso não é constatação minha, mas do Ruy Mesquita, editorialista de O Estado de S.Paulo...

Me irrita essa nuvem que envolve todos os governos brasileiros, tudo obscuro, tudo dependendo do diz-que-me-diz e essa entrevista de ontem deixou isso claro, porque o presidente sempre tinha a última palavra, mesmo quando a polêmica podia surgir. Não se põe a mão nem perto do fogo, que dizer no fogo.

A única coisa que eu gostei e até acredito, é que ele não quer um terceiro mandato consecutivo e parece ser contra a regra de reeleição. Me pareceu sincero sobre isso. Devemos lembrar que ele foi candidato à reeleição porque, sentado na cadeira de presidente, seria atestado de burrice não participar, e de burro, ele só tem o jeitão, fora isso, nada mais...

Agora, duvido que qualquer presidente vá para uma entrevista disposto a dar réplicas e tréplicas, nenhum deles teria coragem. Lula só fez esse evento social por desencargo de consciência, não mudou a relação dele com a imprensa: Ele a despreza, ela o ama, se ajoelha e suplica uma piscadinha de afeto, razão pela qual a exposição dele na mídia é recorde, apesar da petezada cretina dizer que perseguem ele...

Minha opinião é que a imprensa vê em Lula, um BBB da política, um Alemão dos conchavos palacianos, uma Graziele Massafera a mostrar as pudendas, no caso, as pudendas do seu governo... a imprensa não o afasta do noticiário, ele se farta em publicidade mesmo desprezando-a.

Mesmo que haja imprensa de oposição, ela peca por dar exposição demais pro homem!

Viviane disse...

Concordo com o Fábio Max

malu disse...

"A única coisa que eu gostei e até acredito, é que ele não quer um terceiro mandato consecutivo e parece ser contra a regra de reeleição. Me pareceu sincero sobre isso. Devemos lembrar que ele foi candidato à reeleição porque, sentado na cadeira de presidente, seria atestado de burrice não participar, e de burro, ele só tem o jeitão, fora isso..."

Fábio e Vivi

Voces tambem acreditam em Papai Noel, Saci Perere, Coelhinho da Pascoa,...?

malu disse...

Meu professor de politica internacional defende a tese que o Noço foi reeleito por incapacidade e covardia dos brasileiros que votaram nulo. Concordo 100% com ele.

Quer saber de uma coisa, cansei de tanta burrice, realmente lendos os comentarios aqui e ali chego a conclusao que os brasileiros tem o governo que merecem.

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Malu,

O fato de encontrar alguma sinceridade no homem, não significa que eu aderi às idéias dele ou do partido.É apenas uma análise fria do assunto, nada mais...

Não virei petralha, a questão não é essa, é de lógica...

malu disse...

Fabio

Quando vejo você falando que acredita que o "Lulla é um democrata, que ele é sincero quando diz que é contra a reeleição" tenho arrepios, porque voccê faz parte de uma população que supostamente pensante.

Vá a São Bernardo, disse São Bernardo não no ABC para conhecer o "democrata e sincero presidente", se ele é contra a reeleição, porque se prepetuou como presidente do sindicato do ABC?

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Malu,

Se dependesse de gente como o Luiz Eduardo Greenhalg, a Marta Suplicy, Zé Dirceu, Tarso Genro e o Olívio Dutra, Lula já teria fechado o Congresso e o STF e essa população de m... aqui do Brasil ia aplaudir e achar estar no lucro.

Não se pode demonizar uma pessoa e achar que ela é totalmente má apenas por não gostar dela.... não existe pessoa completamente má ou completamente boa.

Ademais, eu disse "gostei e ATÉ acredito", justamente porque os atos do presidente falam em favor disso, embora eu não ponha a mão no fogo por político nenhum.

E por outro lado, se tem que reclamar de alguém por conta dessa cretinice da reeleição, é com o senhor FHC, este sim, que comprou-a junto ao Congresso... se tem gente falando em terceiro mandato pro Lula, é porque FHC mostrou como se faz.

Fábio Max Marschner Mayer disse...

E eleger-se presidente de sindicato não tem relação nenhuma com eleger-se para cargo político...

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Ademais, a margem de votos nulos foi ínfima, não mudaria o resultado da eleição.

malu disse...

Quando eu sugiro uma visita a São Bernardo, não estou dizendo para ir ouvir os que não gostam do Lulla, estou sugerindo que vá até lá conhecer um pouco da história do PT.

Conheço um pouco mais porque um dos meus irmão é amigo pessoal do presidente, vi o PT nascer e também fui metalúrgica durante 13 anos. Na minha época de universidade cantei num conjunto de professores todos hoje bem colocados na vida graças ao ParTido pude presenciar muitas negociatas nojentas.

Se você verificar o site do TSE constatará que o Lulanão foi eleito pela maioria dos eleitores, basta fazer uma conta rápida se tmos 122 milhões de eleitores no Brasil, 58 milhões não são a maioria e em números não em porcentagem os votos nulos influenciaram sim o resultado final das eleições, tanto que o movimento do voto nulo surgiu nas Universidades Federais e Estaduais encabeçado por pessoas que não tinham interesse em mudar (vide o q acontece na USP) e precisavam justificar aos 'isxpertos' a decepção(?) causada pelo Lula.

Agora como eu disse, estou cansada de ver que os 'gados'continuam marcados e nada vai mudar e que cada povo realmente tem o governo que merce, esse foi o motivo que me levou a sair do brasil, porque eu não mereço eu lutei muito e mereço melhor.

Em tempos sou a favor da reeleição.

Lets disse...

Calminha aí, gente! Não briguem. Olha, Malu, eu gosto muito do FHC. Se os pecados dele se resumem a uma não provada compra de votos, ainda me dou por satisfeita. Muito embora ainda ache que não foi ele pessoalmente quem engendrou isso.
Primeiro, acho ele um estadista. Segundo, ele (e foi ele, e não Lula) acabou com a inflação. Foi por causa do novo regime a partir de 94 que eu pude planejar minha vida e obter uma estabilidade que jamais supus pudesse ter um dia. No dia em que eu cruzar com ele farei questão de agradecer pessoalmente, como uma velhinha abordando artistas de TV.
Do Lula, eu tenho visto algumas atitudes corretas. Só algumas. Mas isso não é mérito dele. Como eu disse, ele vem sofrendo um aprendizado, e alguma coisa ele acerta. É questão de estatística. Mas continuo rechaçando o todo, o estrutural de seu governo. Pra mim, são oito anos jogados fora. E de certa maneira, ele está jogando fora toda a "herança maldita" do FHC. As agências reguladoras, por exemplo, que mediariam os serviços privatizados e acabaram se transformando num cabide de empregos. E o pior de tudo, retomou junto aos "intelequituais" um pensamento tacanho, que já havia morrido no mundo e estava nos estertores no Brasil. Isso é um preju sem tamanho.

malu disse...

Lets.
Eu também gosto do FHC, se eu encontra-lo não vou agradecer porque acredito que ele cumpriu o que me prometeu quando lhe confie meu voto.

Quando digo que nos brasileiros estamos inerte, "marcados" é porque não vejo nenhuma atitude por parte das pessoas contra tudo o que está rolando, um exemplo tenho 2sobrinhos estudando na USP. Um no campus de São Carlos outro nos campus Ribeirão Preto, tenho amigos professores eles afirmam que quase 90% da USP está trabalhando e esse mesmo 90% está sofrendo todo tipo de humilhação, são xingados, ameaçados, as aulas são interrompidas por gritos e som altissimo. É isso que está acontecendo ai no brazil, uma pequena parcela de PeTralhas está mandando na maioria e maioria não faz nada para mudar, prefere ficar quieta, acuada num canto a reagir e retomar o país."

Chamar isso de democracia é muito, acreditar que o Lula é democrático é muita inocência é o mesmo que acreditar que ele não sabia da corrupção que rola no governo, ô pobre coitado!

Lets disse...

Eu sei, Malu. Todo governante que faz bem feito está cumprindo sua obrigação. Só que aqui no BR isso chega a ser um milagre. Acabar com a inflação foi a mais bem-sucedida obra de FHC. Coisa que muitos economistas, mesmo com capacidade e vontade de acertar, como Bresser Pereira, não conseguiram. Reproduzir maldições lidas em jornal é fácil. Difícil mesmo é perceber o que o cara está fazendo, discernir o que é fato, o que é detalhe, o que é verdade e o que é mentira.
Infelizmente, o brasileiro se fia em outros valores. O cara se dá bem se tiver o dom de falar sem parar, seja lá o que for. É o caso de Lula.

Lets disse...

Mas que gosto pessoalmente de FHC e de dona Ruth, ah, isso gosto! Como gosto de muitas figuras locais aqui em SP.

Túlio disse...

Putz, o tempo teve quente aqui no fim de semana. Tá todo mundo bem? Tem algum ferido? Tem que chamar o SAMU?

Lets disse...

Não, meu querido. Conversamos aqui como boas pessoas civilizadas, cada um com seu pensamento.

Vivi disse...

Isso aí, discussão civilizada. Então, é na civilidade que eu continuo. Não me considero "gado marcado" ou sabe-se lá que outra alegoria foi usada para identificar o povo brasileiro ou a parcela que votou nulo. Anulei sim e por convicção, pois assim como não confiava no Lula, não confiava no Alckmim. Favorecer um ou outro para mim daria no mesmo. Não via qualquer diferença e não acreditava em ambos.
Não sou filiada a nenhum partido por isso me dou ao direito de atacar ou defender todos eles e julgá-los de acordo com meus critérios. Tirei meu título de eleitor aos 16 para votar no FCH, porque o admirava e acreditava no seu governo. No entanto, me decepcionei do mesmo modo que com o Lula. Porque alguém que assina em baixo e ratifica uma eleição fraudulenta, impondo um reitor rechaçado nas urnas e mal quisto por alunos e professores da maior universidade do país (embora seja ótima, não estou falando de qualidade de ensino. É maior pela quantidade de alunos e cursos mesmo) a UFRJ, não merece o meu respeito.
Assim como coloco mil defeitos no governo do Lula, sei reconhecer a boa administração do PT na minha cidade. Oportunismo, esperteza ou seja lá o que for, o que me importa é que o Lindbergue, aquele mesmo "líder estudantil", está se saindo um bom prefeito, com importantes projetos na área de educação, cultura, saneamento básico e até turismo (estou falando de Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, cidade que só é lembrada como referência de pobreza e violência, mas que tem um baita potencial turístico nunca antes explorado).
Vivemos sim numa democracia. Não acredito em coelhinho da páscoa, mas acredito que, embora tenha vários defeitos, vivemos num estado democrático. Os erros estão aí para serem consertados e as opiniões alheias devem ser respeitadas mesmo que sejam diferentes das nossas e, principalmente, por isso.
Não acho que sou a dona da verdade para julgar a minha opinião superior a dos outros. Respeito quem votou no Lula porque a maioria o fez por convicção e não obteve qualquer benefício "extra" por conta disso. Nem tampouco acho que essa pessoas sejam burras, despreparadas ou que precisam ser protegidas delas mesmas. Isso parece discurso de comunista estudantil da década de 60 com aquela prepotência que lhe era peculiar. Apenas tenho que conviver com o fato de que pessoas que pensam de maneira diferente de mim estão em maior número. Isso, para mim, é democracia.

malu disse...

Em momento algum acho que minhas idéias são superiores ou melhores que a de ninguém, se assim pensasse estaria escrevendo um livro ou dando palestras pelo mundo afora.

Muitos desconhecem que no sistema eleitoral brasileiro nao existe voto nulo, ao anular o seu voto você querendo ou não está votando no candidato que mais votos tem, então apesar de você acreditar que não está votando em ninguém você esta votando sim, o juíz eleitoral aposentado que não me recordo o nome cnasou de explicar a lei antes das eleições passadas.

Criticar o governo é fácil, basta ler a frase do Lula para entender.

Se o prefeito de sua cidade está fazendo um bom trabalho ele independente de partido simplismente está cumprindo seu papel, assim como não acho que o FHC qdo estabilizou o real fez nada de extraordinário, cumpriu seu dever.

O que me desanima é ver que o brasileiro continua achando que deve ter que aceitar tudo o que lhe é imposto como os problemas na USP, reitor imposto na Federal, mensalão, ser assaltado todos os dias e ainda pular carnaval e comemorar a vitória do seu time.

Se eu não respeitasse opniões contrárias não estaria nos blogs conversando, tentando entender e crescer escutando as mais diversas correntes.

Ah, os comunistas dos anos 60 estão no poder, o "democrático" Lula é um deles. Deve ser por isso que ele da entrevista coletiva a todo instante.

malu disse...

Respeito tanto a vontade dos outros que optei por deixar o país quando o Lula foi eleito pela primeira vez.
Mas enquanto eu pagar impostos ai no brasil, sim eu continuo pagando impostos ai e esse dinheiro for usado para sustentar vagabundos no congresso, no governo, nas universidades não vou optar por me calar.