terça-feira, dezembro 05, 2006

Esse PMDB...

Casal Garotinho vira estátua em cidade no Rio


A menos de um mês de deixar o Palácio Laranjeiras, residência oficial do governo fluminense, a governadora Rosinha Garotinho e seu marido, o governador Anthony Garotinho, ambos do PMDB, foram eternizados na Praça Guilherme Tito de Azevedo, no centro de São Fidélis, pequena cidade do norte fluminense.

Estátuas em tamanho natural dos dois políticos, ambos com expressão alegre - o ex-governador está nitidamente mais magro na homenagem que na realidade -, e sentados em um banco, foram inauguradas no local na noite do último domingo.

A iniciativa foi do prefeito David Loureiro (PMDB), que a teria custeado com dinheiro de associações de moradores, segundo informou à imprensa local. A região é o berço político do casal Garotinho.

No último fim de semana, circulou a revista "Nós governamos para os cidadãos", publicada pelo diretório regional do PMDB, com 190 páginas coloridas de elogios aos dois e a seus governos. No texto de abertura, "O momento de agradecer" , assinado pelo casal, há críticas duras ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após a epígrafe do filósofo dinamarquês Kierkegaard ("A fé é a mais elevada paixão de todos os homens").
(Estadão)

Com o dinheiro de quem mesmo?

3 comentários:

Vivi disse...

Para que fazer esse tipo de pergunta, Túlio? As estátuas tão lá, em São Fidélis, aposto que o pessoal da cidade tá adorando! Vai virar até ponto turístico... cidadãos de todos os cantos do Estado passarão por lá p/ descarregar a raiva chutando, socando, ou seja, fazendo com as estátuas aquilo que, infelizmente, não podemos fazer com o casal original. Um baita terapia!

Leticia disse...

Filosoficamente falando, acho muito adequado que dois governadores de um estado tão importante tenham suas estátuas erigidas em cidade tão insignificante. De minha parte, achei muito adequado.

malu disse...

Ai, meus deuso!!! To imaginando se a Marisa fica sabendo dessa fofoca, ja vai tascar uma estatua dela e delle nos jardins do Planalto e dizer que foi a militancia quem quis.