sábado, dezembro 09, 2006

Liberdade a la Fidel

Saiu na Agência Carta Maior. É a liberdade a la Fidel.

Problemas com a Imigração em Cuba

Em Cuba, é proibido a estrangeiros hospedarem-se em casas que não possuam autorização do governo e, para obtê-la, paga-se aproximadamente 150 dólares por quarto disponíveis para alugar.

Não sabíamos e, por isso, acreditávamos que poderíamos nos hospedar na casa do Fidel e da Maritza, nossos amigos. No entanto, a imigração estava, às 8 horas da manhã, batendo na nossa porta, pois tinham recebido uma denúncia de que 4 brasileiros estariam cometendo um crime em território cubano: hospedar-se sem autorização. Recebemos uma intimação para nos apresentarmos na Imigração Cubana às 14h do mesmo dia para nos interrogarem.

Fomos à Embaixada brasileira pedir ajuda. O Vice-Cônsul, José Leite de Assis Fonseca, atendeu-nos muito bem. Conversamos, contamos nossa situação. Ele não mediu esforços para tentar resolver o mais rápido possível o impasse. Redigiu uma carta, explicando à imigração a respeito de nosso desconhecimento da questão de hospedagem, que não pagávamos para estarmos lá, que a família é nossa amiga, e que, para qualquer questão relacionada aos 4 brasileiros, deveria ser chamado o Consulado Brasileiro para serem tomadas as medidas necessárias.

Agradecemos e fomos à Imigração. Logo foram pedindo nossos passaportes, vistos e explicações do porquê de estarmos em Cuba. Apresentamos a carta do Consulado e a conversa amenizou-se. O soldado que fazia as perguntas iniciais ligou para seu chefe, pois, com a intervenção do Consulado brasileiro, qualquer atitude tomada contra nós poderia gerar um problema internacional. Em 5 minutos, o comandante da imigração, Julio Cesar, apareceu e assumiu o papel de inquisidor. Desqualificou-nos de todas as maneiras possíveis, e tratou-nos como criminosos e delinqüentes. Falou que deveríamos dormir numa casa autorizada e levar, no dia seguinte, o comprovante de pagamento. Discutimos muito, falávamos que não tínhamos dinheiro para hospedagem. Respondeu que se não tínhamos dinheiro era para voltarmos de onde tínhamos saído, chamando-nos de loucos por estarmos viajando sem dinheiro. Argumentamos que Che e Fidel também foram dois loucos sem dinheiro. Julio César somente riu.

Não acreditávamos que isto poderia estar acontecendo em Cuba.

De tudo, essa última frase é a que mais me incomoda. Os distintos achavam que estavam indo pra onde?

16 comentários:

Fábio Max disse...

Agência Carta Maior?

Houve um engano, Túlio. Fidel não é ditador, Cuba tem democracia em excesso, lá há liberdade para tudo e os verdadeiros opressores são os norte-americanos.

Só me ocorre uma coisa, para explicar isso:

Carta Maior é mais um órgão de imprensa autoritário, comprometido e antidemocrático!

Túlio disse...

e deveria ser enquadrado...

Leticia disse...

Pagar 150 paus mesmo que os hospedeiros sejam amigos? Mas que capitalismo selvagem!

shirlei horta disse...

Eu tenho a maior dificuldade para postar comentários aquiiiiiii.... Demora dois anos pra abrir a caixa de comentários, quando abre! Tá mais fácil ir pra Cubaaaaaaaa....

Túlio disse...

Porque será Shirlei? Eu devo tá fazendo alguma bobagem. Coisa de marinheiro de primeira viagem. Se tiver alguma dica, dê um toque.

Leticia disse...

Eu quero dar um toque: Não sei se com os outros é assim, mas a caixa de comentários aparece ao lado. Eu escrevo, e quando vou selecionar "outro", para em seguida colocar meu nome, a caixa some e vai lá pra baixo. Aí eu vou remando, remando, para enfim poder finalizar e enviar, lááááa embaixo. É meio chato isso, Túlioooooo!

Túlio disse...

Também não sei porque isso acontece, Letícia. Tô mais perdido que Stevie Wonder em tiroteio...

Túlio teste disse...

Comigo não aconteceu...

Leticia disse...

Você sabe que o Stevie Wonder brigou com o Ray Charles, não é?

Túlio disse...

sei não... Porque? (aí vem)

shirlei horta disse...

Coitadinhos de vocês se eu não conseguir acessar a caixa de comentários para saber o final dessa história...

Túlio disse...

Shirlei, dá uma olhada nas configurações do seu firewall, ou coisa parecida. No trabalho do Palhaço acontece a mesma coisa. Nos lugares onde acesso (são vários) nunca aconteceu...

Leticia disse...

Tiveram uma briga feia! Um não pode nem olhar pra cara do outro.

Túlio disse...

Credo.

malu disse...

Depois que os brasileiros foram embora o governo cubano deve ter ido na casa dos moradores da ilha e "convidado" eles para irem ate a "central" para explicar para eles que nao podem receber amigos em casa sem autorizacao do governo, como eles moram longe do lugar eles devem ficar uns "anos" morando no novo endereco.
Mas la tudo eh "democratico", um povo "livre", e feliz. Entao eles precisam dos $150.00.

Túlio disse...

Lá tá todo mundo feliz, nunca na história daquele país a distribuição de renda foi tão justa, a saúde tá perfeita...

Gente! Até parece que estamos falando do B****...