quarta-feira, dezembro 06, 2006

Turistas

Por conta do filme “Turistas”, tenho recebido e-mails de pessoas tentando me cooptar para um boicote. Algumas comunidades foram criadas no Orkut com o mesmo propósito. Estou pesquisando e acompanhando o desempenho do filme no exterior. O mesmo faz a Embratur, que inclusive estudou mandar uma reclamação formal aos produtores. Foi tanta aporrinhação que resolvi escrever essas mal traçadas.

Primeiro: “Turistas”, ao que tudo indica, é um filmeco. Uma produção das mais baratas (dez milhões de dólares) sem nenhum cuidado ou qualquer pretensão artística.

O filme é tão ruim que a própria crítica americana detona. “Se burrice fosse crime, os idiotas desse filme barato estariam presos.” Essa é a opinião do crítico do jornal “The New York Times”, que também classifica como classifica o longa como “sujo” e “letalmente retardado”. A bilheteria está sendo um fracasso, não porque falam mal do Brasil, mas porque o filme é ruim mesmo.

A preocupação da Embratur de que o filme possa causar prejuízos com a queda do turismo só faz sentido no país onde o presidente nada sabe. O Brasil é um país violento sim! Mas são as notícias de assaltos a turistas, seqüestros, tiroteios e balas perdidas, além da total incompetência em gerir o espaço aéreo, que atrapalham o turismo. Não um obra de FICÇÃO!

Monitorar as repercussões para lançar campanha incentivando o turismo, é até uma atitude sensata. Mas só se a Embratur rever seus conceitos de propaganda. Pois até hoje, ela só conseguiu vender o Brasil como o país do carnaval e do sexo. Cartazes espalhados por aeroportos e campanhas televisivas só mostram mulatas semi-nuas, muito brilho e samba.

Agora, mandar mensagem de repúdio aos produtores do filme, como fizeram no episódio dos Simpsons, é tão ridículo que nem merece comentários.

Um dos e-mails que recebi faz menção indignada ao trailer do filme que começa com a frase: “Num país onde vale tudo, tudo pode acontecer!”. E conclui que é nossa ‘obrigação não passar nem na porta dos cinemas que estejam exibindo esse filme’.

Não entendi a indignação. No que me concerne, nesse país tudo vale mesmo. Inclusive dólares na cueca, assassinatos de políticos y otras cositas más. Além, é claro, do presidente se achar no direito de ignorar assuntos de extrema relevância e praticados por pessoas importantes dentro do governo.

Não é minha ‘obrigação’ boicotar o filme. Atitudes como essa, e a da Embratur, só reforçam a idéia de que vivemos numa república de bananas mesmo. E ficamos incomodadinhos quando outros pisam em nossos calos.

Mas é mais fácil reclamar e boicotar um filme estúpido do que resolver os nosso problemas internos, não é verdade?

E só pra contrariar, vou ver o filme sim!

Quaaack!!

19 comentários:

Vivi disse...

Eu não vou ver. Não que eu seja adepta dessa campanha besta de boicote, mas porque antes de o filme estrear eu já estava achando a história um lixo, agora então que estou acompanhando a opinião da crítica é que não vou gastar meu pobre dinheirinnho com isso. Tenho mais o que fazer. Americanos fazendo filme B sobre o Brasil, geralmente resulta em obras ridículas, cheia de clichês pobres e imagens fantasiosas de um país que não existe.

Vivi disse...

Lembro de um "filme" que falava de lambada... tinha índio jogando capoeira, negro no meio da floresta amazônica dançando com cobra e uma "nativa" com cara de mexicana fazendo a "dança típica brasileira" num ritual que envolvia dança, fumaça, macacos... um horror!!!
Esse concorre p/ pior coisa q já vi na vida... páreo duro p/ "Godizila x a Libélula gigante" e o "Ataque dos Tomates Assassinos"

kizzy disse...

esse filme é ridiculo mesmo, ridiculo tambem quem quer boicotar. Esse não é o caminhi. Eu não vou ver, não porque quero fazer boicote. Não vou ver porque não gostei da história, não é interessante

Túlio disse...

Teve um filme chamado Feitiço do Rio em que as mulheres vão à praia seminuas e com macacos nos ombros. Ninguém falou nada...

Túlio disse...

Vivi, o Ataque dos Toamtes Assassinos eu vi. É um clássico. Godzila x a Libélula Gitante!?!?!? Isso eu tenho que ver!!!

tom paixão disse...

eu vou ver.
e vou gostar.
embratur é cabide de empregos. chama o itamarati e manda publicar texto no variety dizendo e provando que tudo é mentira.
cadê o orson que não aparece uma hora dessa?
boicote, indignação?
ah, fala sério, como diz o carlos, aquele!
eu quero é o borat fazendo uma "matéria" sobre o brasil.
votam mal, não estudam ou crescem e ainda querem reclamar quando são chamados de macacos?

Fábio Max disse...

Ué!!!

Ficção barata em filme B, prateleira do fundo para quê, se a realidade é tão grotesca quanto?

Quem já esperou vôo em Congonhas sabe do terror que muita gente passou ontem.

Vão dizer que no Brasil turista não é assaltado ou assassinato?

Imaginem um turista alemão se dirigindo a uma "delegacia" brasileira?

E se alguém alugar um carro, pegar uma entrada errada e for parar no meio de uma favela do Rio ou SP, daquelas em que os traficantes atiram primeiro para perguntar depois se foi engano?

Que "autoridade" nenhuma de Bananândia reclame do tal filme, porque, se for do jeito que me contaram, é quase um documentário!

malu disse...

Se tem um filme que me da uma raiva, que faz uma "propaganda" horrorosa do Brasil aqui fora eh o tal do "Cidade de Deus".
(deixa eu me abaixar que la vem pedrada)
Tenho que ficar explicando pra todo mundo que assistiu que o Brasil"nao eh terra do tudo pode", que nas favelas moram pessoas e nao bandidos.
Ja cheguei a escutar pessoas dizendo apos terem assistido o filme: "Nao sabia que o Brasil era igual a Colombia."

malu disse...

Quantos as propagandas brasileiras, realmente sao uma "maravilha", em 2004 ao embarcar, na vespera do carnaval, no aeroporto em Dallas tinha um cartaz com fots de passistas semi-nuas inclusive mirins e os seguintes dizeres:
"Nesse carnaval o governo brasileiro estara distribuindo 2.500.000 camisinhas de graca para o foliao."

No meu tempo isso tinha outro nome.

malu disse...

Mudar a mentalidade dos "americanos" e do resto do mundo, depende dos nossos governantes e da sociedade civil. Basta voce dizer que voce mora nos EUA que logo me perguntam se lavo prato ou se lavo banheiro coisas do tipo.
Tom Jobim estava certissimo: "No Brasil fazer sucesso eh ofensa pessoal!"

Fábio Max disse...

Alguém assistiu "Stigmata"?

Outro, com Michael Caine, acho que era "Feitiço do Rio".

Tem um nacional, "Rio, Babilônia".

Concordo com a Malu "Cidade de
Deus" é outro!

Em comum, todos pintam o Brasil como um muquifo onde só tem prostituta e malandro...

Mas eles não seriam o problema, se a publicidade (inclusive da Embratur, anos atrás) não valorizasse tanto as bundas e a nudez do carnaval daqui.

Leticia disse...

Eu não vou ver o filme. Não é nem por ele, mas é que minha vida inteira é sempre ocupadíssima com coisas mais importantes, por exemplo, ver "Brokeback Mountain" com um amigo só para deixá-lo contente.
O fato é que a gente (genericamente falando) só se incomoda quando os outros falam mal. No tempo do cinema furreca dos anos 70 - aqueles a que a Embrafilme dava rios de dinheiro - ninguém reclamava de troços intitulados "Rio Babilônia" ou correlatos, que davam um retrato do Brasil em um close muito, mas muito grande e enganador. Mesmo filmes brasileiros de todos os tempos, como aquele do Mauá, tem sempre uma ceninha de sexo pra atrair público. Mesmo aqueles voltados para outros temas só abordam a nossa pilantragem, o nosso savoir-faire de quinta categoria. Então, agora agüenta!

Vivi disse...

Letícia, Eu acho que os filmes brasileiros melhoraram muitíssimo. Os temas estão cada vez mais diversificados, atores novos (não só os globais), diretores novos... sexo e violência continuam sendo explorados, mas não são mais os únicos temas tratados aqui. Eu curto de montão nossos filmes. assisto tudo o que posso.

Vivi disse...

Malu, quanto ao "Cidade de Deus", acho um filme bom. A história é boa e o filme é bem feito. Não dá p/ culpar a obra pela falta de informação dos outros a respeito da nossa cultura. Só p/ dar um exemplo atual, não é porque eu assiti "os Informantes" (aliás, o Jack Nickolson arrasa) que vou achar que nos EUA só tem gente vendida e assassinos cruéis. Eles ficam com a imagem que é mais fácil, mais impressionante e depois vêm fazer turismo de aventura nas favelas do Rio como se estivessem num safari.

malu disse...

Vivi
Quem te passou as "informacoes" sobre o EUA, foi o governo americano, os diplomatas americanos, a imprensa americana, a sociedade civil americana, eh por isso que voce assistiu um filme e soube distinguir a ficcao da realidade. Agora ja no Brasil...

malu disse...

Ah, deixa eu dizer uma coisa, quem comparou o Brasil com a Colombia foi um medico colombiano que vive a 10 anos nos Estados Unidos, nao foi nenhum americanos desinformado nao, inclusive ele ja participou alguns anos atras de seminarios de cardiologia no Brasil, depois de assistir ao "filme" Cidade de Deus, que ao meu ver so eh badalado pq foi indicado ao Oscar, desistiu de voltar.

Leticia disse...

Vivi, sem dúvida nenhuma os filmes brasileiros melhoraram à beça. Mas estão longe (na produção) do nível dos filmes americanos. Só que, até haver esse renascimento, rolou muita porcaria por aqui. E o fato é que essa porcariada só reforçou a imagem que temos lá fora, desde o tempo do êpa.

Túlio disse...

Na cinematografia america tem porcarias inomináveis. Só que eles produzem demais, então acaba que elas ficam meio escondidas.

tom disse...

é! agora güenta.