quarta-feira, dezembro 20, 2006

O Natal dos Políticos - Alckmin


Alckmin em: “Um encontro com o Papai Noel”


A bela (fofinha, interessante, etc., etc. e muito mais etc.) Lu Alckmin está folheando, calmamente no sofá da sala de estar, a recente edição da Marie Claire francesa, quando percebe que o marido escreve algo à mesa da sala de jantar, e pergunta:

- O que você está fazendo, Chuchuzinho?
- Estou escrevendo uma carta para o Papai Noel. Falta uma semana para o Natal e preciso mandar a carta a tempo.

- Papai Noel? Desde quando você escreve pra ele?
- Desde a última eleição.
- É! Você tem andado muito estranho. Depois da eleição, você deu pra fazer viagens secretas, ficar pendurado no telefone até madrugada e até sair disfarçado de casa.

- Busco resposta, querida. Apenas isso.

Depois de meia hora redigindo, Alckmin termina a seguinte carta:
Abre aspas.
Abre aí, pô!

“Querido Papai Noel,

É com grande satisfação que lhe escrevo essa carta, pois acredito piamente que obterei a resposta que tanto procuro.

Como é de seu conhecimento, perdi a eleição para Presidente da República. Foi um golpe duro para mim, já que esperava mais do povo brasileiro. Mas a soberana vontade popular deve ser sempre respeita.

Pior que a derrota eleitoral, é a cortante dúvida que trago comigo, um verdadeiro Dumbo atrás da orelha. Afinal de contas, de onde veio o dinheiro?

Já busquei essa resposta em diversos lugares, conversei com muitas pessoas, dentre elas: o diretor da CIA, o Dalai Lama, um delegado da INTERPOL, agentes secretos russos, Kofi Annan, e até com a Mãe Dináh. Ninguém pôde me ajudar. Cheguei a fazer um curso de investigador particular, mas nada. O senhor é a minha última esperança, afinal quem visita milhões de pessoas e nunca erra o presente, é muito bem informado. Por favor, me responda.
Atenciosamente,

Geraldo Alckmin”
(Na madrugada do dia 24)

- Querida, acorda. Está escutando? É ele.
- Hum... ele quem, Alckmin?

- Ele, o Papai Noel. Ainda bem que eu deixei a janela da sala aberta, senão como ele ia entrar aqui em casa? Vamos lá conversar com ele.
- Hum... me deixa dormir.... zzzzzzzzzzzzzzzz....

- Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz...................
- Eu vou lá sozinho. Cadê a minha pantufa do Pernalonga? Ah, está aqui!

Aproveitando a penumbra da luz da sala de jantar, Alckmin vê um homem vestido de vermelho e com um grande saco nas costas, e grita:
- PAPAI NOEL!!!

- Ho ho ho.... feliz Natal!
- Feliz Natal. Mas essa voz... Papai Noel, acenda a luz aí da sala de estar, por favor.

- Mas é você!?
- Mas é claro que sou eu. A fantasia do Coelho da Páscoa só estrearei ano que vem.

- Que brincadeira é essa? Cadê o Papai Noel? Quem te deu permissão pra se passar por ele?
- Olha, Alckmin... nunca, na história desse país, os pobres ganharam tanto de um presidente. Nada mais justo que eu fosse eleito, pela Organização Mundial dos Papai Noel, o Papai Noel do Brasil.

- Chega! Não quero ouvir mais nada!
- Calma Alckmin! Você não é nervoso assim! Eu vim trazer a sua resposta.

- Você vai me dizer de onde veio o dinheiro?

- Não! Eu trouxe uma ficha pra você se filiar ao PT e uma carta na qual eu indico você pra fazer parte da diretoria. Assim, você fica por dentro dos esquemas e para os próximos dossiês fajutos, você saberá de antemão de onde virá o dinheiro.

- Vou chamar a polícia...

- Qué isso companheiro?
- Vou dar no pé!
- Alckmin, me ajuda aqui a subir na janela. Vou chamar minhas renas.
- FORA!!!

(Na manhã do dia 24, na suíte)

- Hum... bom dia, querido. Dormiu bem?

- Nem dormi!

- Nossa, que mau humor! Deixa-me adivinhar: o PlayStation que o bom velhinho te trouxe não funcionou. Era made in Paraguai?

- Não tem graça, Lu. E não era o Papai Noel. Era o Bicho Lulão!

- O BICHO LULÃO!!!
Alckmin cobre a cabeça, visivelmente atordoado.

- Risos... (ai! ui!). Esse Alckmin acredita em cada coisa. Primeiro em Papai Noel e agora em Bicho Lulão.

- Eu vou tomar o meu café da manhã.

- Alckmin, saia de debaixo da cama.

THE END

Palhaço

6 comentários:

shirlei horta disse...

Adorei, Palhaço, morri de rir. Só você e o Alckmin ainda querem saber de onde veio o dinheiro. De resto, o mundo gira e a Lusitana roda. De onde virá o dinheiro para pagar os parlamentares? Aguardem o próximo Natal!!

Túlio disse...

Virá do Papai Noel...

Fábio Max disse...

Kct!

Me admira muito encontrar um papai-noel desses na sala de estar e não ter um ataque cardíaco fulminante de fazer saltar as pantufas de Pernalonga!

Parabéns, dei boas risadas!

malu disse...

Encontrar um Papai-Noel desses na sala nao eh sonho e um pesadelo dos mais terriveis, certo que se eu tivesse um oportunidade dessa,ai...deixa eu pensar em outra coisa eh tempo de PAZ!
Parabens, Palhaco, ri bastante.

Leticia disse...

Ai, Palhacinho, só você! Adorei! Você ainda terá muito texto pra manga, pode crer.

Vivi disse...

Palhacinho, querido, gostei muito do seu texto. Não sei qual seria a visão mais tosca, se o Bicho Lulão de Papai Noel ou o Alckmin de pantufas do Pernalonga. rs